Fundo de 10 milhões para indústrias criativas nasce em 2022 e conta com a SIC

SIC é o primeiro parceiro para fundo de investimento promovido pela Trojan Horse was a Unicorn, que apoiará exclusivamente membros da tribo de criativos de entretenimento digital.

Diogo Ferreira Nunes
Francisco Pedro Balsemão, presidente executivo do grupo Impresa, dona da SIC. © Gerardo Santos / Global Imagens

É no próximo ano que vai nascer o primeiro fundo para impulsionar as indústrias criativas. A ideia original da Trojan Horse was a Unicorn conta com orçamento de 10 milhões de euros. A SIC é a primeira parceira desta iniciativa, segundo o anúncio desta quarta-feira.

A estação de Paço de Arcos vai entrar com uma participação de 300 mil euros, de acordo com informação divulgada através de um comunicado junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Conforme já tinha adiantado ao Dinheiro Vivo o líder do THU, André Luís, o fundo de investimento será exclusivo para os membros da tribo de talentos do entretenimento digital: "pela primeira vez, Portugal tem um fundo para apoiar protótipos nas indústrias criativas. Apenas poderão candidatar-se pessoas da nossa tribo e, depois, as ideias vão entrar para um "lago dos tubarões", que designamos de Creators Circle".

Como num fundo de capital de risco, se os produtos começarem a ganhar dinheiro, o THU vai ficar com uma parte das receitas. "Podemos encontrar um novo Candy Crush Saga" , espera André Luís. Mas os ganhos depois serão reinvestidos na comunidade "e o próprio criador terá de apostar num futuro projeto, assumindo a passagem de testemunho. As pessoas que têm sucesso têm de dar de volta à sociedade".

Em conjunto, SIC e THU vão apostar na promoção de programas e ações educativas; incubação de talento; criação de hubs de produção e outras iniciativas nas áreas do cinema; produção para televisão; animação; gaming; streaming, entre outras.

O presidente executivo do grupo Impresa (dona da SIC), Francisco Pedro Balsemão, destaca o "historial de pioneirismo" da estação de Paço de Arcos: "Ao longo dos últimos anos, desenvolvemos marcas que têm aberto novos horizontes na produção de conteúdos, como a Opto ou o ADVNCE. Esta parceria segue essa vontade: de apoiar a nova criação e de reconhecer o mérito de quem está a iniciar a sua atividade com ideias disruptivas. A nossa participação no fundo permitir-nos-á ter acesso exclusivo aos melhores conteúdos e talento internacional."

A parceria foi anunciada na semana em que o THU regressou a Portugal, após três anos de ausência no estrangeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG