fazedores

Andy Murray junta-se à startup luso-britânica Seedrs

Tenista britânico é a primeira figura pública a investir em startups através do modelo de equity crowdfunding.
Tenista britânico é a primeira figura pública a investir em startups através do modelo de equity crowdfunding.

Andy Murray é a primeira figura pública a investir em startups na Seedrs, a plataforma de investimento que funciona com um modelo de equity crowdfunding.

O tenista britânico associa-se à plataforma através da sua participação como Advisory Board, que tem como objetivo “aconselhar a respeito de empresas nas áreas da saúde, desporto e tecnologia wearable”, explica a Seedrs em comunicado.

A Seedrs, uma plataforma luso-britânica que funciona por equity crowdfunding, tem como base a angariação online de investimento feito por um grande número de pessoas. A plataforma foi lançada em junho de 2012, e regista um crescimento mensal de 15%.

Leia mais: Portuguesa Agroop levanta mais de 80 mil euros de investimento na Seedrs

“Sempre me interessei por investimento, e a possibilidade de estar envolvido numa forma tão inovadora de ajudar a apoiar startups, britânicas e não só, pareceu-me muito apelativa. Igualmente importante para mim é ter a oportunidade de trabalhar com pessoas em quem confio e que realmente compreendem a grande responsabilidade envolvida em lidar com o capital de outras pessoas. Estou muito entusiasmado por trabalhar com a Seedrs e os empreendedores do futuro”, explica Murray, em comunicado.

Em Portugal, a Seedrs anunciou no mês passado ter contribuído para o financiamento da primeira startup portuguesa, a Agroop. A empresa, uma das finalistas do Prémio Inovação NOS, angariou um investimento de 80 mil euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Andy Murray junta-se à startup luso-britânica Seedrs