As viagens são o negócio deles

ng3114070

Considerado um dos sectores estratégicos do país, o turismo é
cada vez mais uma alternativa de negócio. As viagens são motivo de
poupança durante o ano inteiro e razão de ser de muitos dos
projetos criados este ano pelos Fazedores do Dinheiro Vivo.

Leia também: Os sete negócios mais criativos do ano

Mariana e Catarina Lopes juntaram o gosto pelas viagens à
oportunidade de poderem dedicar-se a meio tempo a um negócio
próprio. Desafiaram o primo, Ricardo Ramos, e investiram juntos na
Futah, uma marca de toalhas de algodão egípcio com selo português.
A maior ambição do trio é transformar a Futah em nome de produto –
como acontece, por exemplo, com a Coca-Cola – e não só de marca.
Leia aqui a reportagem.

As coordenadas geográficas da foz do rio Douro serviram de ponto
de partida a Marta e a Inês Fonseca para criarem a primeira coleção
da marca de biquínis Latitid. Criada no início deste ano com um
investimento de 15 mil euros, os biquínis da marca foram produzidos
em 24 modelos e 100 versões diferentes, de maneira a criar uma marca
para “todas as mulheres”. Leia aqui a reportagem.

Todos os anos Portugal recebe milhares de turistas. Se fizermos
contas, o país é tão requisitado pelas paisagens como pela comida
e pelo vinho. Foi a pensar em Portugal como destino gastronómico que
Célia Pedroso e Filomena Pinto se juntaram para revelar novos
paladares aos viajantes. Para isso, criaram a Eat Drink Walk Lisbon,
uma empresa que oferece quatro roteiros gastronómicos guiados pela
capital portuguesa. Leia mais aqui.

Manuel Moura, por outro lado, não queria desperdiçar a
oportunidade de tornar negócio um dos seus programas de
fim-de-semana favoritos. À sua carrinha pão de forma Eleanor juntou
outras cinco. Stacey, Veronica, Madeline, Dorothy e Megan integram a
frota VW da SurfinPortugal, uma empresa que tem como objectivo
permitir a portugueses e estrangeiros passear pela costa de Portugal
e “viver o sonho de uma surftrip numa pão-de-forma”. Leia
mais aqui.

Com uma ideia parecida mas com um meio de transporte diferente,
nasceu a Go & Stay. Ricardo Pereira da Silva conseguiu
concretizar a ideia que tinha no papel quando conseguiu trazer um
grupo de russos e lituanos a Portugal. Ou melhor, conseguiu
identificá-la e juntar-se ao negócio que já existia. Com Hugo
Santos e Mauro Silva, descobriu um interesse comum: as motas. E
fizeram dos passeios que tanto gostavam de dar, um negócio. Leia
mais aqui.

Mais complicado foi para Mónica Pinto Coelho e Rosário Cunha.
Apesar de saberem bem o negócio que queriam criar juntas, os
fuso-horários diferentes exigiram uma ginástica grande em termos de
horários de encontro online. A marca Mo&Ro-Traveler’s Soul foi,
à venda online, foi lançada numa pop-up Store, em Madrid e,
posteriormente, em Lisboa. E anda a ser enviada para todas as partes
do mundo. Leia mais aqui.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Carteiros

CTT vão entregar cartão de cidadão em casa. Piloto arranca em Oeiras

As viagens são o negócio deles