Fazedores

Aumento da renda encerra espaço de cowork na LX Factory

Fernando Mendes fundou primeiro Cowork Lisboa em 2009, na LX Factory. (Fotografia: Arquivo/Global Imagens)
Fernando Mendes fundou primeiro Cowork Lisboa em 2009, na LX Factory. (Fotografia: Arquivo/Global Imagens)

Aumento de 30% no preço da renda do espaço do Cowork Lisboa em Alcântara terá ditado futuro. Espaço encerrará a 31 de dezembro.

Um aumento de 30 por cento no preço da renda do espaço do Cowork Lisboa no LX Factory, em Alcântara, ditou o futuro do espaço de cowork que irá encerrar a 31 de dezembro, depois de 10 anos no local.

Em declarações ao DN, Fernando Mendes responsável e um dos fundadores do Cowork Lisboa explicou que “a empresa detentora da LX Factory (LXF) presenteou-nos com um aumento de renda na ordem dos 30 por cento. Pagávamos a mesma renda desde 2010 e também cobrávamos o mesmo valor aos nossos coworkers desde a abertura. Negócios como já não se fazem.”

Adiantou ainda que “a empresa francesa de imobiliário, localmente apoiada pela empresa Mainside, não quis negociar ou sequer ouvir os nossos argumentos. Não foi tido em conta o caráter polinizador do Cowork Lsboa, sobretudo porque nesta fase a LX Factory já não terá interesse no negócio de aluguer do espaço, anunciadas que estão as obras que vão acabar com a LX Factory tal como a conhecemos”.

Contactado pelo DN a Mainland explicou que sempre existiu “uma excelente relação com o o Cowork Lisboa mas encerra-se um ciclo e certamente no futuro teremos muitas e saudáveis colaborações, tanto neste projeto da LXF como noutros que ainda estão por vir”.

Susana Pais, porta vez da Mainland acrescentou ainda que “o espaço que até ao fim do ano será ocupado pelo Cowork Lisboa será ocupado por outras empresas, como aliás tem sido comum no funcionamento da LXF. Sempre existiu algum rotatividade de empresas no espaço, precisamente porque as empresas pequenas fundem-se com outras maiores, as maiores adaptam-se a novas realidade e reduzem de estrutura e os espaços em todos os casos ajustam-se às necessidades. Sempre foi assim na LX Factory e assim continuará”.

E quanto ao futuro dos trabalhadores e empresas que alugava espaços de trabalho no Cowork Lisboa “uma parte migrará para o nosso novo espaço, no Beato, o NOW Beato, localizado perto do Hub Criativo do Beato. Estamos a ajudar alguns freelancers e empresas a ficarem mais algum tempo na LX Factory ou tentando encontrar alternativas. A cidade está bem fornecida de espaços de coworking“, indica Fernando Mendes.

Este artigo foi publicado originalmente no Diário de Notícias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Fotografia: Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Vendas de carros descem 71,6% em maio

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

PIB pode registar quebra entre 9% a 15% em 2020

Lisboa, 25/05/2016 - Aspecto do Palco Mundo, durante uma reportagem do Diário de Notícias sobre o que acontece nos dias em que no Festival Rock in Rio não há concertos.

( Gustavo Bom / Global Imagens )

APSTE: Setor dos eventos com prejuízos de 20 milhões no segundo trimestre

Aumento da renda encerra espaço de cowork na LX Factory