Autocarros partilhados para empresas valem investimento de 5 milhões

Plataforma BusUp conta com co-fundador português e tem clientes nacionais como BCP, Novo Banco e Altice.

As rotas partilhadas de autocarros entre grandes empresas e pequenos e médios negócios valeram um investimento de 5 milhões de euros em série A à plataforma BusUp.

A injeção de capital foi anunciada esta quinta-feira e prepara a tecnológica para o futuro do trabalho, em que os escritórios vão ter menos trabalhadores.

A BusUp criou uma solução de transporte flexível: o mesmo autocarro serve para trabalhadores de diferentes empresas partilharem percursos, permitindo uma redução de custos de 30% e de 72% nas emissões de dióxido de carbono.

O negócio foi fundado em 2016 e chegou a Portugal no ano seguinte. Este serviço pode ser adaptado para todos os tipos de empresas, fábricas, centros empresariais, parques industriais, universidades, escolas e eventos.

Com um fundador português, Rui Stoffel, esta empresa conta com clientes nacionais como BCP, Novo Banco e Altice. A BusUp afirma-se como líder a nível nacional.

A nível mundial, a BusUp presta serviço a mais de 100 empresas e já transportou mais de 500 mil passageiros.

A ronda de investimento foi liderada pelo fundo de investimento em mobilidade Proeza Ventures, em conjunto com um dos investidores da Lyft (Autotech Ventures) e o fundo Finaves V. Depois desta injeção de capital, a BusUp vai reforçar a presença em mercados como o dos Estados Unidos e reforçar a quota de mercado em Portugal.

"As tendências mostram que o cenário no regresso ao trabalho, pós-pandemia, estará dominado pelo trabalho híbrido (semi-presencial) ou flexível, que inevitavelmente requererá soluções de deslocação, também, flexíveis. Uma das previsões de Bill Gates para o mundo pós-pandémico é que "o escritório será partilhado", e já confirmamos que essa tendência na UE se vai estendendo, de forma natural, para as deslocações partilhadas.", assinala Rui Stoffel em comunicado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de