Ministério dos Negócios Estrangeiros

Bang! Bang! Os cartoons portugueses

Miguel é produtor e realizador
Miguel é produtor e realizador

Miguel Braga podia ter sido um gestor de topo, mas a paixão pelo desenho falou sempre mais alto e obrigou-o a virar-se para o design. Passou por uma empresa de marketing e publicidade, mas foi com a banda desenhada que deu o salto para abrir a Bang! Bang!, o maior estúdio de animação 2D em Portugal.

Miguel começou por vender tiras de banda desenhada à peça para as revistas Portugal Radical, Fórum Estudante e Cães & Companhia e ainda aguentou três anos como freelancer, até perceber “que assim não dava” e mergulhar no mercado da animação, em 1998. Na altura com 27 anos e sem experiência na área, respondeu a um anúncio e foi aceite na equipa do estúdio Magic Toons, onde ficou um ano.

Porém, não era bem aquele o seu caminho. Para o descobrir, Miguel aproveitou o boom da Internet e criou um site onde expunha as “bonecadas que fazia”, desenvolvendo um método de trabalho único que lhe permitiu “produzir bonecos em quantidade industrial e com boa qualidade” – uma combinação entre os programas Corell e Flash que deitou por terra o império do Illustrator da Adobe. “Chamaram-me doido, disseram que era impossível fazer animação assim, mas eu sou a prova do contrário”, conta.

A ideia tinha tudo para vencer, mas Miguel ainda não era autossuficiente. Por isso, andou a saltar entre a paginação, o design gráfico e a publicidade, até conseguir vender, em 2004, a série O Anjinho da Guarda à SIC Radical. “Éramos cinco, em regime de freelancer, e trabalhávamos numa sala em casa da minha avó”, no estúdio que na altura se chamava Headcoretoons. Em 2007 chegou a proposta da RTP2 para integrar o programa infantil ZigZag, com as séries A Ilha das Cores e Sótão Mágico e daí a conquistar o canal Panda foi um instante.

“Percebi, então, que era preciso mudar de casa e de nome.” Bang! Bang! surgiu da necessidade de internacionalização, depois de Miguel e a sua equipa terem arrecadado o terceiro lugar do MTV ULoad com uma curta-metragem animada de 30 segundos e ficado em primeiro lugar no festival angolano de publicidade, Acácia de Ouro.

O estúdio começou a ganhar nome (e mercado) e no início do ano passado mergulhou de cabeça no maior projeto de animação alguma vez feito em Portugal, as Nutri Ventures: uma série de desenhos animados de quatro temporadas, com 52 filmes de 27 minutos cada, que ensina os miúdos a comer de forma saudável. Pelo caminho, claro, há batalhas contra os “maus” e lições didáticas sobre a roda dos alimentos.

A proposta chegou por parte da Watermelon, uma empresa dedicada à produção de conteúdos para televisão, e implicou um investimento de 2,5 milhões de euros.

“É um projeto gigante, dois anos de trabalho non stop.” Um episódio com 360 planos “demora, em média, um mês a ficar pronto”, conta. Por mês avança 45 minutos e 40 planos, o que, multiplicado por 52 filmes, pode ultrapassar a data prevista para a conclusão da série, cuja estreia ocorre no final de Maio ou início de Abril, na RTP1.

Agora, com casa fixa na Av. 5 de Outubro, em Lisboa, a Bang! Bang! já conta com 46 animadores e Miguel Braga, que deixou de desenhar para passar a produzir e realizar filmes de animação, espera conseguir manter a equipa com cada vez mais projetos em nome próprio.

Retrato

A Bang! Bang! é especializada em animação 2D digital para televisão, DVD e Internet. Já criou séries como Sótão Mágico, Família Silva da Silva, Zig Zag (RTP2) ou Anjinho da Guarda (SIC Radical). As Nutri Ventures são o seu mais recente e ambicioso projeto. Estrearam na RTP1 no final do ano passado e já há vários canais estrangeiros interessados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, momentos antes de falar aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, 3 de setembro de 2020. MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Défice público chega a 6,1 mil milhões em agosto, mas suaviza face a julho

Fotografia: Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens

Sinistros automóveis sem seguro custaram 4,7 milhões

Bosch testes rápidos

DGS aprova testes rápidos à covid da Bosch. Primeiro evento é a Volta a Portugal

Bang! Bang! Os cartoons portugueses