Berlim

Berlim, a cidade onde quem não falha “mente ou é idiota”

. Fotografia: DR
. Fotografia: DR

Num dos principais hubs de empreendedorismo da Europa, metade dos fundadores de startups lançaram negócio pela segunda ou terceira vez

Cerca de metade das startups criadas em Berlim foram fundadas por fazedores que estão a lançar um negócio pela segunda ou terceira vez. Nesta cidade alemã, o falhanço é um tema aberto dentro de uma das maiores comunidades europeias de empreendedorismo, como o Dinheiro Vivo tem testemunhado ao longo desta semana. A abertura é tão grande que o falhanço é visto como um elemento que credibiliza os fundadores do negócio junto dos investidores, adianta Christoph Räthke, coordenador dos programas de aceleração do German Tech Entreprenuership Center (GTEC).

“Todos os empreendedores que conheço e os meus amigos falharam tantas vezes que não têm medo de falar sobre isso. Se estivermos com outras pessoas no ecossistema e não falarmos numa viagem de montanha russa, as pessoas vão pensar que são uns idiotas. Estar na mó de baixo, sofrer e perder dinheiro é um marco de credibilidade. Sem isso, ou estão a mentir ou são uns idiotas”, avalia um dos principais responsáveis do GTEC, incubadora situada em Berlim.

Graças a esta experiência, “não devemos esperar qualquer bolha de investimento em Berlim. Atingimos um nível de profissionalização muito grande”, considera Christoph Räthke. “Os nossos empreendedores sabem muito bem o que estão a fazer e atualmente as coisas são tão estáveis que nunca mais poderemos esperar uma bolha na nossa cidade”, acrescenta.

Christoph Räthke considera que o ecossistema de startups de Berlim “é o melhor da Europa e um dos mais atrativos do mundo” porque “dentro desta comunidade existe um grande espírito de entreajuda, fala-se muito em inglês e não é seguida uma corrente tão capitalista”. Graças a esta postura, a cidade alemã “tem atraído pessoas muito inteligentes de vários pontos do mundo”, de países como Portugal, Espanha e Itália.

Este alemão considera ainda que Berlim “é o hub digital da Alemanha, o ponto de encontro entre pessoas muito talentosas” e uma cidade onde há “grande facilidade em aceder ao capital das grandes empresas.

Sem querer entrar em comparação direta com Londres – ainda vista por muitos como a capital europeia das startups -, um dos responsáveis do GTEC considera que Berlim “é a cidade mais aberta para novas empresas na Europa”.

O Dinheiro Vivo falou com Christoph Räthke depois de uma sessão realizada no GTEC para partilhar o sucesso da Bunch.ai, startup que pretende mudar a forma como as empresas trabalham, combinando psicologia com dados.

*Jornalista em Berlim a convite da Embaixada da Alemanha em Portugal

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
mulher gravida

Não renovação de contratos com grávidas cresce 15%

mulher gravida

Não renovação de contratos com grávidas cresce 15%

Angel Gurria, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Mario Guzmán

OCDE mais pessimista. Sinais vermelhos para a economia

Outros conteúdos GMG
Berlim, a cidade onde quem não falha “mente ou é idiota”