Boonzi. O software português que ajuda a gerir o seu dinheiro

ng3093312

Em seis meses, um software feito para
resolver um problema de um dos criadores transformou-se numa empresa.
Lançado em Portugal no início de 2013, o Boonzi acaba de ser
traduzido para inglês e localizado para os mercados onde esta é a
língua dominante.

Trata-se de um software de gestão de finanças
pessoais, com a particularidade de importar automaticamente e de
forma não invasiva os extratos bancários do utilizador. O sucesso
em Portugal foi tão grande que a start-up que desenvolveu o programa
está já a negociar com vários bancos para obter financiamento que
permita dar o salto.

“Estamos a estudar as realidades do
Brasil, Espanha e Alemanha, e simultaneamente a procurar e a negociar
com parceiros que tenham facilidade em entrar nestes (ou noutros)
mercados”, explica ao Dinheiro Vivo Tiago Pinheiro, um dos
responsáveis pelo projeto. O software custa cerca de 40 euros, pode
ser adquirido em qualquer parte do mundo e é compatível com quase
todos os bancos que têm homebanking.

“Uma das principais funcionalidades é
a importação e categorização de forma rápida e segura das
transações bancárias, em menos de dois minutos”, explica Tiago.
“Permite ainda controlar e ter visibilidade sobre todas as contas
bancárias, cartões de crédito, empréstimos, etc. de forma
agregada, com a funcionalidade multiconta”, podendo definir
orçamentos para a categoria de gastos e agendar transações –
funcionalidades que faltavam a João Saleiro, cocriador, quando
tentava gerir as suas despesas mensais.

A Boonzi vendeu mais de quatro mil
cópias do software em seis meses e tem recebido muito feedback.
“Temos um cliente na área da consultoria, com bons rendimentos,
habituado a comer sempre fora, que descobriu que quase metade do seu
orçamento mensal era gasto em restaurantes e cafés”, conta Tiago.
Próximo passo? A aplicação móvel, para gerir as finanças no
smartphone.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

No final de 2019 Estado terá mais 11 400 novos funcionários

Lucília Gao com Joana Marques Vidal no dia da sua tomada de posse como diretora do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa © DR-Ministério Público

Lucília Gago é a nova PGR Tudo o que precisa de saber

Juan José Dolado, economista, investigador e professor universitário (Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Pior do que a precariedade vão ser os baixos salários”

Outros conteúdos GMG
Boonzi. O software português que ajuda a gerir o seu dinheiro