Calçado inspirado nos índios da Amazónia vence Prémio Indústrias Criativas

Além da Iguaneye Cloud, a nona edição do prémio distinguiu o Sound Particles, um software 3D para áudio, e o WonderCover, acessório para tablets

A Iguaneye cloud, marca inspirada no calçado usado pelos índios na Amazónia é o grande vencedor da nona edição do Prémio Nacional Indústrias Criativas, uma parceria da Super Bock com a Fundação de Serralves. Além de levar para casa um prémio de 15 mil euros, os criadores da Iguaneye vão representar Portugal no Creative Business Cup, a maior competição internacional na área das indústrias criativas que decorre em novembro em Copenhaga, na Dinamarca.

Na cerimónia que decorreu esta quinta-feira em Serralves, foram, ainda, distinguidos os projetos Sound Particles, um software 3D para áudio que recebe o segundo prémio, no valor de sete mil euros, e o WonderCover, o primeiro acessório para tablets para uso em simultâneo, que ficou em terceiro lugar, com um prémio de três mil euros. Esta foi a primeira vez que o Prémio Nacional Indústrias Criativas atribuiu três prémios pecuniários.

No comunicado sobre os premiados, a Unicer explica que a Iguaneye Cloud, que integra a categoria Arquitetura e Artes Visuais, é um "novo conceito de proteção dos pés", produzido a partir de elastómeros, um material muito flexível, que "simula o efeito de andar descalço". No interior, estes sapatos incorporam uma palmilha de cortiça e couro amovível, "que possibilita um conforto máximo". O design é "100% original, moderno e disruptivo", destaca a empresa.

Já o Sound Particles, que concorreu na categoria Conteúdos e Novos Media, é um software 3D para áudio, vocacionado para as áreas do entretenimento, como o cinema ou os videojogos, e permite a criação de milhares de sons em simultâneo e efeitos sonoros "de elevada complexidade". "Já é usado pelos grandes estúdios de Hollywood (Skywalker, Universal, WarnerBros, Fox, Sony, Paramount, Pinewood, ParkRoad), em filmes como Batman v Superman, Ninja Turtles 2, A Grande Muralha ou Ghostbusters (2016)", destaca a Unicer. O projeto recebeu, ainda, a distinção Born from Knowledge atribuída pela Agência Nacional de Inovação.

Quanto ao WonderCover, que concorria na categoria Arquitetura e Artes Visuais, é, segundo os seus promotores, "o primeiro acessório para dispositivos móveis que permite a utilização simultânea de um único tablet por um grupo de utilizadores em jogos e atividades que impliquem a ocultação de informação entre os intervenientes". Surge, refere o comunicado, enquanto "nova fórmula de jogo digital, que mimetiza e explora jogos sociais que não tinham, até à data, plena representação digital".

Os prémios foram entregues no decurso do Super Bock CLAB - Laboratório Criativo, em Serralves, evento anual que pretende materializar a ligação da Unicer ao setor das indústrias criativas. Este ano o convidado foi Muti Randolph, o brasileiro reconhecido como um dos maiores nomes da arte baseada em novas tecnologias. O espaço interativo da Nike nos Jogos Olímpicos Rio 2016 ou o “Olho no Olho” no Museu Óscar Niemeye são, apenas, alguns exemplos de projetos seus.

O Prémio Nacional Indústrias Criativas Super Bock/Serralves, que vai já na sua 9ª edição, apoiou mais de 70 projetos de forma sustentada, de um total de 2072 candidaturas. Em 2016, o grande vencedor foi a Noocity, uma start-up dedicada ao desenvolvimento de equipamentos para agricultura urbana. Empresas bem sucedidas como Miss Can, Uniplaces, Musikki ou Hole 19 fazem parte da história do concurso. E empresas que hoje representam um volume de negócios na ordem dos dois milhões de euros e que geram cerca de 400 postos de trabalho, destacou o presidente da Unicer. "Falar em Indústrias Criativas é sinónimo de inovação e na capacidade de transformar ideias em negócios viáveis, em diferentes áreas, com o intuito de promover a competitividade, criar postos de trabalho e aumentar a atratividade das cidades. E na Unicer, cedo percebemos o impacto que este setor podia trazer para a dinâmica da sociedade atual, que é cada vez mais global, articulada e complexa. Assumimos, por osso, um papel ativo e consciente na promoção de iniciativas e de modelos de atuação nesta área que associam o mundo empresarial à comunidade criativa", frisou Rui Lopes Ferreira.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de