fazedores

Capital da Letónia usa aeroporto para descolar startups

Espaço da associação Magnetic Latvia, em Riga, pretende receber perto de cinco mil representantes de empresas até outubro de 2020.
Espaço da associação Magnetic Latvia, em Riga, pretende receber perto de cinco mil representantes de empresas até outubro de 2020.

Associação Magnetic Latvia conta com um espaço no aeroporto de Riga para captação de novos negócios e investimentos para o país.

Enquanto centenas de pessoas atravessam o corredor do aeroporto de Riga, na Letónia, várias startups apresentam-se a um júri que os pode levar ao festival DFF, um dos maiores eventos de tecnologia do Báltico. Estamos no espaço da Magnetic Latvia, uma associação local de apoio ao empreendedorismo e que ocupa uma das lojas deste aeroporto.

Este espaço funciona como uma montra da Letónia: há várias peças de design de artistas locais, várias apresentações sobre o país, uma sala de reuniões e ainda um conjunto de informações para captar potenciais investimentos estrangeiros.

Na quinta-feira, três das nove startups da Letónia e da Bielorrússia que participaram no evento foram escolhidas para apresentarem esta sexta-feira a sua ideia de negócio aos cerca de dois mil participantes no festival DFF e ainda aceder a um conjunto de mentores. Um júri constituído por jornalistas internacionais e membros de associações locais de startups escolheu os três vencedores do dia: Lovat, YoPlayDo e Orocon.

A Lovat é uma plataforma para que as empresas que vendem produtos através da internet consigam pagar os impostos devidos conforme a localização do consumidor em 57 países.

A YoPlayDo conta com um sistema que pretende melhorar a descoberta, por parte dos clubes, de jovens jogadores de futebol de formação. Esta solução pretende tornar este processo mais barato e eficiente graças à recolha de vários dados dos jogadores.

A Orocon pretende lançar a primeira assistente virtual para o segmento de construção e ajudar o pessoal que está nas obras a ouvir uma segunda opinião e poder tomar melhores decisões.

O espaço da Magnetic Latvia vai manter-se no aeroporto de Riga pelo menos até outubro de 2020 e pretende mostrar um país “versátil, moderno, inovador e virado para a Europa”. A entrada neste local apenas é permitida depois de uma verificação de segurança, como se fôssemos entrar dentro de um avião.

Em Portugal, no aeroporto Humberto Delgado, a Startup Lisboa também conta com um centro de empresas mas que fica localizado antes do controlo de segurança.

A apresentação no aeroporto concluiu o bootcamp de cinco dias que decorreu em agosto na viagem de comboio entre Riga e Minsk, na Bielorrússia. O evento serviu para dar uma nova oportunidade às novas empresas que estão a nascer no leste europeu e que ainda não têm a devida atenção no mercado local.

O festival DFF decorre esta sexta-feira e sábado em Riga e vai juntar os especialistas na era digital com políticos para que, em conjunto, possam encontrar soluções para os problemas causados pelo confronto entre os mundos analógico e digital.

*Jornalista viajou a convite da agência de investimento da Letónia

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Artur Machado/Global Imagens.

Donos de alojamento local contestam agravamento das tarifas da água

Miguel Pina Martins, CEO da Science4you.

(Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens)

Science4you quer alargar prazo da oferta pública até fevereiro

(Carlos Santos/Global Imagens)

Porto de Setúbal: Acordo garante fim da greve às horas extraordinárias

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Capital da Letónia usa aeroporto para descolar startups