Comércio

Colchões da Koala Rest conquistam Academia de Comércio

João Ramos e Bruno Madeira, fundadores da startup Koala Rest. Fotografia: Gonçalo Villaverde / Global Imagens
João Ramos e Bruno Madeira, fundadores da startup Koala Rest. Fotografia: Gonçalo Villaverde / Global Imagens

Como prémio, empresa fundada por João Ramos e Bruno Madeira terá direito a utilizar, durante um mês, a loja da Startup Lisboa

A Koala Rest, startup que vende colchões da fábrica diretamente para casa, conquistou a primeira edição da Academia de Comércio. Como prémio, a empresa fundada por João Ramos e Bruno Madeira terá direito a utilizar, durante um mês, a loja da Startup Lisboa, acesso a seis meses de incubação nesta organização e apoio de relações públicas.

Mas a cerimónia não ficou por aqui. Devido à competitividade dos projetos apresentados, que apostam em formas inovadoras de vender produtos, foram atribuídas três menções honrosas por parte do júri, constituído por Miguel Fontes (Startup Lisboa), Paulo Soeiro de Carvalho (Câmara de Lisboa), Marta Miraldes (SBI Consulting) e Carla Salsinha (UACS).

As três empresas foram distinguidas por várias razões e terão direito a três meses de consultoria estratégica gratuita, anunciou Marta Miraldes no final da cerimónia, que decorreu esta terça-feira no auditório da UACS, em Lisboa.

A Pop The Bubble, que vende acessórios de moda e lifestyle que se destacam pelo design, sofisticação e irreverência, foi destacada como a empresa com maior potencial de escalabilidade. A Atelier Encaixe, que promove o restauro, marcenaria, workshops, talha, embutidos, empalhamentos, douramentos e prateamentos, foi distinguida pela valorização do saber fazer. O Armazém das Malhas, marca de vestuário e acessórios em todo o tipo de malhas, foi premiado pela valorização do comércio tradicional.

Ainda assim, nenhum dos 15 finalistas ficou de mãos a abanar, porque terão direito a um ano de isenção de pagamento de quotas junto da UACS – União de Associações de Comércio e Serviços.

A primeira edição da Academia de Comércio terminou após cinco semanas de aceleração, que consistiram na participação em workshops, eventos de networking, formação em modelos de negócio, pitchs e reuniões de mentoria.

A Academia de Comércio, para além de ajudar a incubar novos empreendedores, tem ainda um programa de apoio aos comerciantes de Lisboa, cuja primeira edição terá lugar na freguesia do Beato, com a participação de 60 lojas e um programa de apoio às lojas com história.

 

Município atento

Também presente no final da cerimónia, o vice-presidente da Câmara de Lisboa, Duarte Cordeiro, assinalou o cuidado e a atenção do município para estes projetos. Duarte Cordeiro falou mesmo de um projeto em carteira, para a reutilização dos quiosques de rua, habitualmente atribuídos a vendedores de jornais ou dedicados a áreas sociais.

“Queremos potenciar este equipamento. Uma das ideias era atribuir um conjunto de bancas para conceitos de incubação e valorização de marca. Tem um período associado e dá um pouco mais de fôlego na fase de promoção de projetos”, contou Duarte Cordeiro. O projeto, está, para já, a aguardar viabilidade.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Colchões da Koala Rest conquistam Academia de Comércio