“Comida com histórias” quer fazer crescer água na boca lá fora. E trazer mais turistas

ng3107120

APTECE – Associação Portuguesa de Turismo de Culinária e Economia, quer atrair os turistas através das tradições culinárias e deste modo também promover os produtos regionais. José Borralho, presidente da associação, refere que “num país pequeno como o nosso, em distâncias de 30 a 40 quilómetros temos tradições muito diferentes, o que ainda torna mais pertinente o nosso objetivo”.

Objetivo esse, que passa por impulsionar a economia portuguesa através da promoção da culinária regional como património cultural, local e nacional e elemento estratégico para desenvolvimento da economia local.

Ou seja, “os associados fundadores, que desde sempre trabalham com o turismo, entenderam que Portugal é rico gastronomicamente e culturalmente, e devia ser melhor aproveitado, fazendo uma ligação clara entre as viagens e a comida”, frisou José Borralho.

A APTECE resulta de um investimento superior a meio milhão de euros,e arranca agora com o projeto “Portugal Exclusivo – Comida com histórias” que integra um conjunto de atividades que pretendem levar as iguarias nacionais aos quatro cantos do mundo.

Entre as atividades previstas para o projeto “Portugal Exclusivo – Comida com histórias” destacam-se estudos sobre a valorização da gastronomia portuguesa, ações de proteção dos alimentos em “vias de extinção”, Class Cooking em torno da gastronomia regional portuguesa, aplicações para smartphones com roteiros, atividades e ofertas de produtos artesanais locais, publicação de um livro sobre a comida portuguesa com histórias, sessões de formação para profissionais do turismo, um road show junto de 19 cidades europeias para promoção da regiões portuguesas, gastronomia local e dos produtos que a constituem, entre outras.

Para o presidente da APTECE “algumas tradições estão a ser perdidas, não se tem feito um trabalho para as guardar, e para já estamos a trabalhar com nove produtos em vias de extinção, de Trás-os-Montes ao Algarve” e salienta, não se trata de “mais um projeto de turismo”, esta associação aposta na cooperação e complementaridade entre os vários agentes do turismo e a indústria local, criando uma plataforma de desenvolvimento que pretende promover as várias regiões de Portugal não apenas como um destino turístico, mas tudo aquilo que faz parte dele: a história, cultura, tradição, gentes, produtos, empresas.

O projeto “Portugal Exclusivo” vai reforçar “o conceito de riqueza e qualidade de Portugal, através da nossa gastronomia tradicional, típica das diferentes regiões e também das suas micro, pequenas e médias empresas com produtos únicos da nossa cultura. Entre os mercados prioritários estão Espanha, França, Alemanha, Reino Unido, Itália, Holanda e os Países Escandinavos”.

“Teremos atividades em Portugal, a primeira terá lugar em Ponte de Lima, a 26 de outubro, onde os restaurante vão utilizar no seu menu receitas típicas e produtos locais”, mas, acrescenta,”queremos chegar às embaixadas portuguesas em todo o mundo”.

Através do plano de atividades que implicará um investimento superior a 500 mil euros, dos quais 80% são provenientes do Sistema de Apoio a Ações Coletivas do COMPETE, pretende-se proteger e em alguns casos recuperar o património gastronómico português. O projeto pretende impulsionar a economia nacional através da criação de sinergias entre diferentes setores estratégicos como a gastronomia, o turismo e a agricultura.

Assente no Turismo Gastronómico, a APTECE pretende ligar, de forma dinâmica e inovadora, “comida e viagens, através de histórias muitas das quais nem os próprios portugueses conhecem, permitindo a criação de produtos experienciais únicos, que contem as histórias, que revelem segredos e deem a conhecer a nossa herança culinária e gastronomia, e ajudem os agentes locais a saber tirar partido delas. Trata-se de valorizar e promover ingredientes, alimentos e tradições gastronómicas de cada uma das regiões portuguesas, contribuindo para uma prática de cross-selling regional.”, adianta José Borralho.

A associação é representante em Portugal da World Food Travel Association, com mais de 16.000 membros em todo o mundo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lear Corporation

Há mais de 800 mil portugueses a trabalhar por turnos

Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública. (António Pedro Santos / Lusa)

Governo vai reservar verba para financiar pré-reformas no Estado

Rui

“Se Rui Rio ganhar as eleições do PSD este Governo dura quatro anos”

Outros conteúdos GMG
“Comida com histórias” quer fazer crescer água na boca lá fora. E trazer mais turistas