novos negócios

Connective: Esta plataforma quer ligar estudantes de hotelaria a profissionais

Equipa da Connective na Startup Lisboa. Fotografia: DR
Equipa da Connective na Startup Lisboa. Fotografia: DR

A Connective ajuda a estabelecer o contacto entre estudantes e mentores. Vende minutos de chamada ou mensagens e garante resposta em 3 dias

Pedir conselhos e orientação profissional ou académica e ajudar a procurar oportunidades de emprego e estágio na área da hotelaria. Estes são os dois principais objetivos da Connective, plataforma portuguesa incubada na Startup Lisboa. Fundada por Gustavo Martins e João Graça, antigos estudantes da escolha de gestão de hotéis Les Roches em Marbelha, Espanha, e quer pretende desenvolver o ensino e a indústria hoteleira.

A Connective funciona através da venda de pacotes de créditos às universidades que depois os distribuem pelos estudantes, que comunicam com os mentores por videochamada. Cada minuto custa um crédito; se não houver chamada, a plataforma também permite o envio de mensagens, que custam dois créditos.

Ao contrário do LinkedIn, a Connective garante a resposta aos contactos feitos no prazo de três dias úteis. Estão previstos castigos e até expulsão caso se verifique o incumprimento das regras previstas. Existe ainda o sistema de classificação entre uma e cinco estrelas, tanto no caso dos estudantes como no caso dos mentores. Este ranking permite uma melhor seleção na triagem de contactos a efetuar.

A Connective tem mais de 150 mentores, entre os quais representantes dos hotéis Pestana, Hilton, St. Regis e Waldorf Astoria. A equipa é constituída por quatro pessoas e tem Miguel Santos, também ex-estudante da Les Roches, como um dos sócios.

Esta plataforma tem ainda uma parceria com a escola Les Roches para oferecer cursos de verão nestas escolas na Suíça e no sul de Espanha.

A entrada nos mercados suíço e chinês, o registo de mil alunos e o aumento do número de mentores, de 150 para 200, são os próximos passos da Connective.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Ramalho (Novo Banco), Luís Pereira Coutinho (Banco Postal), Nuno Amado (BCP) e António Vieira Monteiro (Santander Totta). Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Transferências bancárias imediatas sim, mas com custos

Fotografia: Leonardo Negrão / Global Imagens

Lesados do Banif pedem indemnização de 100 milhões a Portugal e a Bruxelas

As associações representativas dos taxistas marcaram para esta quarta-feira uma manifestação nacional contra a promulgação pelo Presidente da República do diploma que regula as plataformas electrónicas de transporte como a Uber, Cabify, Taxify e Chaffeur Privé. Manifestação de Lisboa.
Táxis junto à rotunda do Marquês de Pombal 
( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Plataformas de transportes ganham pouco com concentração dos taxistas

Outros conteúdos GMG
Connective: Esta plataforma quer ligar estudantes de hotelaria a profissionais