fazedores

Construção de cortiça da Corkbrick à procura de 250 000 euros na Seedrs

Miguel Reynolds Brandão, presidente executivo da Corkbrick. Fotografia: DR
Miguel Reynolds Brandão, presidente executivo da Corkbrick. Fotografia: DR

Startup portuguesa volta à plataforma de financiamento luso-britânico para poder apostar em nova linha de produção.

A Corkbrick, startup portuguesa que desenvolve um sistema de construção por blocos de cortiça, está à procura de 250 000 euros de investimento. A empresa liderada por Miguel Reynolds Brandão vai recorrer pela segunda vez à plataforma de investimento por equity crowdfunding Seedrs, depois de ter levantado 150 000 euros em agosto de 2017.

A startup portuguesa, com esta operação, pretende lançar uma nova linha de produção. “Estivemos um ano a aperfeiçoar a forma de produção das peças que compõem o nosso sistema e estamos, agora, em condições de começar a servir o mercado. Agora, queremos investir na segunda linha de produção, a qual vai permitir multiplicar por 10 a capacidade de produção e, assim, podermos satisfazer mais depressa as muitas encomendas que nos têm chegado através da nossa loja online”, explica o líder da Corkbrick, citado em nota de imprensa.

A Corkbrick está a desenvolver um sistema modular partindo da lógica da economia circular. Consiste num conjunto de sete peças, feitas em cortiça, que permitem construir qualquer tipo de mobiliário sem recurso a parafusos ou colas. A cortiça, uma matéria-prima nobre, permite que as peças tipo “lego” tenham a resistência, a densidade, a volumetria e o peso adequados a um fácil manuseamento. O sistema Corkbrick permite, em simultâneo, criar soluções de arquitetura interior e de mobiliário interior e exterior.

A empresa liderada por Miguel Reynolds conta com investidores de 29 países, alguns deles são mesmo executivos da Google, Lego, Cisco e da universidade de arquitetura de Londres.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Frederico Varandas, presidente do Sporting.

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Sporting vende créditos de contrato com a NOS por 65 milhões

Frederico Varandas, presidente do Sporting.

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Sporting vende créditos de contrato com a NOS por 65 milhões

Cerimónia da assinatura da venda do Novo Banco à Lone Star, no Banco de Portugal. Luis Máximo dos Santos, Donald Quintin e Carlos Costa.

( Filipe Amorim / Global Imagens )

Máximo dos Santos: “Venda do Novo Banco evitou sério prejuízo”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Construção de cortiça da Corkbrick à procura de 250 000 euros na Seedrs