financiamento

Construção de cortiça da Corkbrick obtém 150 mil euros na Seedrs

Miguel Reynolds Brandão, presidente executivo da Corkbrick. Fotografia: DR
Miguel Reynolds Brandão, presidente executivo da Corkbrick. Fotografia: DR

Depois da operação, a Corkbrick prepara-se para "completar o plano de investimento" e começar as entregas de produto "a partir de outubro/novembro"

A Corkbrick, startup portuguesa que desenvolve um sistema de construção por blocos de cortiça, concluiu uma ronda de financiamento seed (semente) na Seedrs de 150 mil euros em troca de 15% do capital (equity crowdfunding). Depois desta operação, a empresa liderada por Miguel Reynolds Brandão passa a estar avaliada em 850 mil euros. Participaram na campanha 160 investidores, sobretudo da Europa.

“É um grande orgulho conseguir atrair o interesse de tantos investidores/fãs, incluindo executivos da Google, Lego, Cisco, Universidade de Arquitetura de Londres, em todo o mundo e conseguir promover o nosso produto junto de potenciais clientes e parceiros”, assinala Miguel Reynolds Brandão em nota enviada às redações. Ao longo da próxima semana, a Corkbrick estará em overfunding.

Com o montante obtido, a Corkbrick prepara-se para “completar o plano de investimento” e começar a fazer as entregas de produto “a partir de outubro/novembro” da fábrica da Nova Cortiça, em São Brás de Alportel, para o território português e para a restante Europa.

A Corkbrick desenvolveu um sistema de blocos de cortiça que, à semelhança das peças Lego, permite criar e construir em casa ou no escritório qualquer tipo de estrutura ou mobiliário sem recurso a ferramentas.

Filipe Portela, diretor de desenvolvimento de negócios da Seedrs, assinala que “o facto de uma empresa com este sistema inovador de construção ter conseguido financiar-se com sucesso numa fase seed é um excelente sinal da qualidade das startups portuguesas e demonstra que qualquer startup, seja de qualquer área ou sector, pode realizar campanhas na Seedrs”.

Esta é a terceira startup portuguesa a completar uma campanha de financiamento na Seedrs no espaço de dois meses. No final de junho, a Homeit, empresa de apoio ao alojamento local, obteve 250 mil euros de investimento em apenas quatro dias, a operação mais rápida de sempre de uma startup portuguesa nesta plataforma. Na semana passada, foi a vez da Agroop, que obteve 200 mil euros na terceira ida ao mercado de equity crowdfunding.

A Seedrs, plataforma luso-britânica de equity crowdfunding, cofundada pelo português Carlos Silva, conta atualmente com escritórios em Lisboa, Londres, Nova Iorque, Amesterdão e em Berlim.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

Turismo vale 16% da atividade económica portuguesa

Mário Centeno, ministro das Finanças. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Défice público cai 59% até ao final de outubro

Marco Schroeder

Marco Schroeder renuncia a cargo de CEO da Oi

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Construção de cortiça da Corkbrick obtém 150 mil euros na Seedrs