Dados de qualidade valem investimento de 2,7 milhões à YData

Startup portuguesa que acelera desenvolvimento de soluções de inteligência artificial vai contratar 15 pessoas até ao final do ano e entrar no mercado dos Estados Unidos.

A YData é uma plataforma que prepara dados para acelerar o desenvolvimento de soluções de inteligência artificial. Quanto mais qualidade tiver a informação, melhor será o trabalho para os cientistas de dados. A proposta da startup portuguesa valeu um investimento de 2,7 milhões de dólares (2,3 milhões de euros), segundo o anúncio feito nesta segunda-feira.

A injeção de capital vai servir para a plataforma entrar no mercado dos Estados Unidos e duplicar a equipa, atualmente com 15 pessoas: serão recrutados cinco novos elementos até ao final deste ano; os restantes dez vão chegar ao longo de 2022, esclareceu ao Dinheiro Vivo um dos fundadores da YData, Gonçalo Martins Ribeiro. As vagas em aberto cobrem posições de cientistas de dados, engenharia, produto e marketing.

À conta do crescimento para os Estados Unidos, Gonçalo e Fabiana Clemente (o outro elemento fundador) vão mudar-se para o país e abrir lá o escritório. Por agora, grande parte da equipa da startup está espalhada por Portugal e há duas pessoas no Brasil. O modelo de trabalho é remoto.

A ronda de investimento em fase seed (semente) foi liderada pelo fundo de investimento Flying Fish Partners, especialista em inteligência artificial e gerida por ex-diretores da área da Amazon e da Microsoft. As sociedades de capital de risco portuguesas Faber e EDP Ventures acompanharam a operação, junto com os business angels Steve Shwartz, Sergio Giacoletto e Carter Rabasa da 200 OK Ventures, refere o comunicado de imprensa.

Faber e EDP Ventures já tinham liderado o investimento de 500 mil euros na YData, em ronda pre-seed, em março de 2020.

Nascida em 2019, a startup portuguesa melhora a deteção de fraudes e anomalias, contribui para a simulação de cenários de preço (pricing), trata da modelação de risco de crédito e ajuda na partilha de monetização de dados.

Isso é possível graças à tecnologia de dados sintéticos, que promete resolver problemas como a privacidade, escassez de dados ou mesmo a falta de representatividade de classes.

"A ​​​​​​​YData pretende ajudar as equipas de data science a focarem-se no que realmente interessa, que é a criação de valor para a empresa", e para isso, a plataforma YData "resolve os problemas ao nível dos dados que são sempre os mais complexos", destaca Fabiana Clemente, citada em comunicado.

Wells Fargo, EDP, Verbund e Telefónica são alguns dos clientes que já trabalham com a startup portuguesa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de