Fazedores

Eat Tasty: “Vamos para Madrid ainda este ano”

Orlando Lopes e Rui Costa são os dois fundadores da Eat Tasty e vão celebrar o terceiro aniversário na cervejaria Musa. (DR)
Orlando Lopes e Rui Costa são os dois fundadores da Eat Tasty e vão celebrar o terceiro aniversário na cervejaria Musa. (DR)

Startup portuguesa de entrega de refeições quentes feitas no dia já é rentável e conta com mais de 2000 utilizadores ativos.

140 000 refeições entregues, mais de 10 000 utilizadores registados e 370 000 euros de investimento. Estes são os números totais que marcam o terceiro aniversário da Eat Tasty, que será celebrado esta quarta-feira. Mas a startup portuguesa que entrega receitas quentes feitas no próprio dia quer ir mais longe. Depois de Lisboa, a capital espanhola será a segunda cidade da empresa fundada em 2016 e que se tornou rentável no final de 2018. A Eat Tasty prepara-se ainda para juntar sopas à ementa nas próximas semanas e quer substituir as cantinas nas empresas.

Vamos para Madrid ainda este ano. Provámos que este modelo de negócio tem pernas para andar e conseguimos ter liquidez e métricas em Lisboa. O nosso próximo passo para que a Eat Tasty seja uma empresa grande europeia e mundial é provar que conseguimos replicar o modelo numa cultura diferente e num mercado maior e com mais concorrência”, anunciam em entrevista ao Dinheiro Vivo Orlando Lopes e Mário César, dois dos responsáveis desta startup portuguesa.

Nos primeiros 12 meses em Espanha, a Eat Tasty pretende chegar a fazer “cerca de 1000 refeições por dia”.

A entrada em Espanha será feita com uma equipa totalmente nova (serão necessárias oito pessoas) e novas soluções na plataforma, que terá de adaptar-se aos gostos dos espanhóis. “Estamos a identificar pessoas em Espanha para montar a equipa, que terá apoio também a partir de Portugal. Precisamos de ter mais pessoas, criar uma solução multilíngue e introduzir tecnologia na plataforma. Vamos ter áreas novas e investir a sério”, assinalam os dois fazedores.

No país vizinho, além de adaptar a ementa ao gosto local, a startup portuguesa vai enfrentar “mais concorrentes do que no mercado doméstico, embora não tenham o mesmo modelo que o nosso: há muitas empresas de comida encomendada e que chega fria”, sinalizam.

Empresa rentável

A Eat Tasty festeja um aniversário pela primeira vez com contas positivas. “Conseguimos mostrar que este negócio funciona. Atingimos o break-even [receitas pagam as despesas] no final do ano passado”, destaca Orlando Lopes.

Estes resultados apenas são possíveis graças a uma estratégia firme desta startup, que tem conseguido evitar o desfecho de algumas empresas deste segmento em Portugal. “Não queremos criar uma empresa baseada em desconto, porque temos vários exemplos no mercado que sofreram com a aposta nesse modelo. Os clientes não têm de querer menos do que o valor da refeição. Temos é de valorizar o produto para valer o que vale.”

Novidades na ementa

A valorização da ementa será notada nas próximas semanas pelos clientes da Eat Tasty com a entrada de novas ofertas na ementa. “Vamos complementar as refeições com outros produtos. Em abril, vamos começar a ter sopas, que deverão custar entre 1,5 euros e 1,9 euros”, anuncia Mário César.

Atualmente, a Eat Tasty já permite juntar produtos como fruta desidratada e outros snacks, graças a parcerias com várias empresas.

A ementa desta plataforma também tem sido acrescentada graças ao aumento dos espaços onde as refeições são preparadas: além da casa das pessoas, os pratos podem ser preparados em cozinhas privadas ou em restaurantes. “Há um ano, não estávamos a utilizar os restaurantes.”

Com estas novidades, a Eat Tasty pretende entregar mais de 1000 refeições por dia na cidade de Lisboa até ao final de 2019.

As refeições na Eat Tasty podem ser encomendadas diariamente até às 11h45 através da internet ou de uma aplicação móvel no sistema operativo iOS (Apple). Os pratos são entregues à hora do almoço em 14 zonas da Grande Lisboa como Amoreiras, Avenida da Liberdade, Baixa Lisboa, Carnaxide, Entrecampos, Expo, Lagoas Park, da Marginal até ao Restelo, Marvila, Miraflores, Quinta da Fonte, Saldanha, Tagus Park e Torres de Lisboa.

Substituição das cantinas nas empresas

O mercado empresarial será outra das grandes apostas para 2019 da Eat Tasty, que representa atualmente 15% dos clientes. “Queremos substituir as cantinas de todas as empresas. Por exemplo, em vez de estar a pagar área, criar a cantina e ter uma concessão, as empresas podem alocar-nos esse orçamento. Os trabalhadores podem comer mais barato, as empresas não têm a gestão da concessão e até podem ter acesso a padrões de alimentação”, explicam.

Orlando Lopes diz ainda que as empresas podem aplicar a lógica dos jogos à hora de almoço. “Podem lançar objetivos do mês e até premiar pelo cumprimento de objetivos”, exemplifica.

Leia aqui: Eat Tasty. Um plano de negócio que é de comer e chorar por mais

A Eat Tasty assinala ainda que tem “cada vez mais parcerias com empresas de alojamento local” e também quer “ajudar o staff dos hotéis, produtoras de filmes e de séries, que assim não precisam de catering”.

Contratação de estafetas avaliada

Atualmente, as refeições da Eat Tasty são entregues por estafetas subcontratados a outras empresas e que têm de ter o próprio veículo. Só que esta situação poderá mudar nos próximos meses por uma questão de custos.

“Estamos a avaliar o fornecimento dos próprios veículos. Já identificámos que com o aumento da procura, as empresas estão a alugar as motas por valores altíssimos, que chegam aos 250 euros. É uma oportunidade de negócio para aquisição de estafetas e ajudará a retê-los ainda mais. Não precisamos de ganhar dinheiro com a mota”, assinala Orlando Lopes.

Os estafetas da Eat Tasty também contribuem para um projeto da empresa em parceria com a ReFood, em que as caixas de plástico são lavadas, recolhidas e depois reutilizadas para ajudar a organização que leva refeições às famílias mais carenciadas.

Festa com oferta de jantar

Os três anos da Eat Tasty serão celebrados esta quarta-feira com uma festa na cervejaria Musa, na zona de Beato/Marvila. O evento começa às 19 horas e o jantar será servido a partir das 20h para um número limitado de participantes. A partir das 22h, haverá uma atuação do músico Jhon Douglas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno 
(EPA-EFE/PATRICIA DE MELO MOREIRA)

Lentidão nos reembolsos fazem disparar IRS em plena crise

Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Costa. Plano de rotas da TAP “não tem credibilidade”

portugal covid 19 coronavirus

1342 mortos e 31007 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Eat Tasty: “Vamos para Madrid ainda este ano”