dia mundial da energia

Empresa portuguesa quer pôr painéis solares térmicos nas fachadas de edifícios

Exemplo de uma casa com os painéis da ATSolar instalados na fachada.
(DR)
Exemplo de uma casa com os painéis da ATSolar instalados na fachada. (DR)

O Senergy Force, desenvolvido pela AT Solar em parceria com a Universidade de Aveiro, permite poupanças de energia na ordem dos 90%.

Quando a Tesla anunciou, em 2017, que ia apostar em telhados solares meio mundo rejubilou com a novidade. Em Portugal, não é preciso esperar que o produto cá chegue para conseguir uma solução semelhante. É que, uns meses depois do anúncio de Elon Musk, nasceu a AT Solar, uma empresa de Viseu que aposta na tecnologia para criar projetos sustentáveis. E o seu primeiro produto acaba de ser lançado: o Senergy Force.

Apresentado na Tektónica, a Feira Internacional da Construção e Obras Públicas que se realizou em Lisboa no início de março, o Senergy Force tem algumas diferenças em relação ao produto da Tesla. A tecnologia portuguesa, de painéis solares térmicos em fachadas e coberturas de edifícios, não gera energia elétrica, apostando antes no aquecimento de água, e ainda na ventilação e climatização.

A solução, desenvolvida em parceria com a Universidade de Aveiro, permite uma poupança de energia na ordem dos 90%, como explica Augusto Teixeira, chefe de operações da AT Solar e mentor do projeto. “Esta solução consegue uma autonomia em climatização na ordem dos 90%, sendo que o investimento representa, em média, apenas 3% do total da construção de uma casa, com retorno estimado ao fim de 6 anos.”

A solução Senergy Force ganha relevância também numa altura em que a legislação europeia vai obrigar os edifícios, a partir de 2021, a ter um balanço energético nulo. Por isso, o diretor-geral, António Palhinhas, acredita que o produto vai ter bastante sucesso no mercado e até alterar “o paradigma mundial da construção, energia e climatização”, indica em comunicado.

“As fachadas produzidas pela AT Solar já estão a ser comercializadas em Portugal e na Europa e prevemos que numa janela de cinco anos o Senergy Force esteja a ser comercializado em grande escala, em quantidades na ordem de 13 mil unidades ao ano, gerando resultados de cerca de seis milhões de euros anuais”, acrescenta.

Notícia atualizada às 17:42 com a correção do nome da tecnologia e a introdução de dados mais precisos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: D.R.

Julho só com mais 390 desempregados oficiais, mas 44 mil novos inscritos no IEFP

António Ramalho, CEO do Novo Banco. Fotografia: Tiago Petinga/Lusa

Novo Banco vendeu seguradora com desconto de 70% ‘coberto’ pela ajuda do Estado

Fotografia: D.R.

Novo Banco. GNB teve idoneidade verificada pelo regulador

Empresa portuguesa quer pôr painéis solares térmicos nas fachadas de edifícios