Estudar não chegava. Abriram empresa de limpeza

ng3327226

José Maria Macedo, José Pinto Basto e Salvador Torres chegaram à universidade de Lancaster há apenas ano e meio. Além da nacionalidade, juntou-os uma ideia de negócio. Tal como muitos estudantes, para estes jovens lisboetas viver em Inglaterra significava estar longe dos pais e das implícitas mordomias e manter o quarto limpo e arrumado sem ajuda não era coisa fácil. "Tínhamos sempre tudo sujo e o Zé [José Pinto Basto], que é o mais limpinho, ofereceu-se para limpar o meu quarto. Então surgiu a ideia. Porque não contratar pessoas para fazer isto para outros estudantes?", conta ao Dinheiro Vivo José Maria Macedo, estudante de Politics, Philosophy and Economics.

E assim nasceu a BTM Cleaning. Podia ser uma empresa de
limpeza como outra qualquer, mas esta tem a especificidade de serem
estudantes a limpar os quartos de outros estudantes – e com isso
ganham uns trocos. “Resolvemos elevar isto ao nível da
universidade: em vez de sermos só nós, criar um grupo com os
alunos”, explica José Pinto Basto, que está a tirar o mesmo
curso.

O projeto rapidamente cresceu e conquistou clientes. Em
três meses, mil quartos e casas de banho foram limpas. O facto de
cobrarem preços quase simbólicos ajudou ao sucesso da empresa. “A
limpeza de um quarto ou de uma casa de banho custa 5 libras (6
euros). Mas para os estudantes que vivem fora do campus da
universidade, em casas partilhadas com amigos, cobramos 40 euros por
apartamento ou moradia (cerca de 50 euros)”, esclarece Salvador
Torres, aluno do curso de Management with Entrepreneurship. Tudo
funciona de forma extremamente simples: as datas e horas de limpeza
são escolhidas pelo estudante/cliente através do site da empresa;
em pouco mais de dois minutos o serviço está marcado.

A
empresa criada pelos estudantes portugueses, com idades entre os 19 e
os 21 anos, foi uma verdadeira lufada de ar fresco para muitos alunos
que não têm tempo – ou vontade – para limpar o quarto. Thomas,
estudante de Direito, é dos clientes mais frequentes da BTM
Cleaning. “É bom ter um grupo de alunos a cuidar do nosso quarto.
Especialmente durante a época de exames”, garante. Uma das
“empregas de limpeza” da BTM Cleaning é precisamente, uma colega
de quarto de Thomas. Lucy Duffy conta que “é tudo muito fácil; só
trabalho três ou quatro horas por semana. Escolhi-os porque são
quem paga melhor aqui no campus e podemos escolher quando queremos
trabalhar”.

Em menos de um ano, a empresa dá já emprego a
cerca de 60 pessoas e presta serviços fora da universidade.
“Começámos a limpar cozinhas e expandimos o serviço para casas
fora do campus porque normalmente no primeiro ano as pessoas vivem
aqui mas depois mudam-se para casas que alugam”, frisa José Maria
Macedo.

Aos estudantes portugueses juntou-se há pouco tempo
um inglês. E o grupo não demorou muito a arranjar mais uma ideia de
negócio inovadora. Sabendo o que era chegar a uma casa nova e não
ter utensílios de cozinha, criaram uma empresa que presta este
serviço. “Fizemos conjuntos de 33 peças com tudo o que os alunos
precisam na universidade, incluindo os não britânicos e
internacionais. Temos woks e coisas desse tipo, enfim, tudo o que
precisam”, explica James Flinn, de 24 anos, estudante de
Psicologia. Os conjuntos KitchPack esgotaram rapidamente e os jovens
estudantes estão agora a alargar o negócio a outras
universidades.

Este ano, as duas empresas deverão ter
já um volume de negócios de cerca de 295 mil euros, o que
representa um lucro de cerca de 125 mil. Nada mau, para quem apenas
investiu 490 euros, de uma bolsa atribuída pela universidade aos
alunos que apresentassem os planos de negócio mais promissores. O
dinheiro foi sobretudo gasto no “registo da empresa, pagamento do
site e compra de produtos de limpeza para os primeiros
trabalhadores”, esclarece José Maria Macedo. Já no caso
do KitchPack, diz que nem sequer houve investimento inicial: “Fizemos
um site onde as pessoas podiam fazer pré-encomendas e usámos esse
dinheiro para comprar stock.”

Um dos objetivos do grupo é
também incentivar outros colegas a apostar no empreendedorismo. Para
isso criaram o Unientrepreneur.com, onde explicam passo a passo
todas fases dos processos que culminaram na criação das duas
empresas de sucesso. Nesta página, os interessados podem “seguir o
nosso progresso nestes e noutros projetos”, diz José Maria
Macedo.

Quanto ao futuro destes jovens e das empresas que
criaram não podia ser mais promissor. “Vamos franchisar a BTM
Cleaning para mais duas universidades este ano e estamos a negociar
contratos de limpeza com hotéis e imobiliárias locais para fazer as
limpezas de final de arrendamento.” Na calha estão também já
dois novos projetos, desta vez na área da tecnologia.

Objetivo
final? “Tornarmo-nos multimilionários”, dizem os sócios na sua
página de apresentação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: GREGÓRIO CUNHA/LUSA

Seguradoras têm obrigação de indemnizar mesmo em estado de calamidade

Promotoras imobiliárias começam a receber faturas relativas ao AIMI. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Imobiliárias com casas em stock pagam faturas milionárias de AIMI

Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

Falta de pontualidade nos aeroportos portugueses ronda os 20%

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Estudar não chegava. Abriram empresa de limpeza