empreendedores

Família algarvia conquista mercados. Cobriu com chocolate belga produtos regionais

Figos com chocolate belga dão negócio
Figos com chocolate belga dão negócio

Uma família do Algarve criou uma empresa de produção artesanal de bombons, que junta produtos regionais, como o figo e a laranja, com chocolate belga e, além de abastecer o mercado nacional, já exporta para a Alemanha.

Um casal e duas filhas de 29 anos de idade – uma fisioterapeuta e a outra socióloga de formação — produzem a partir da sua residência, em Loulé, “latinhas com (10 a 12) bombons especiais – chocofigo”, à base de figo seco algarvio e chocolate belga.

Leia também: FAZ vai dar prémio a Ideias de Origem Portuguesa. Já abriram as candidaturas

Casca de laranja, amêndoa, farinha de alfarroba, aguardente de medronho são outros produtos típicos do Algarve que a família Guerreiro está a aproveitar para valorizar, juntando-lhes o mais famoso chocolate do mundo.

Além dos bombons, a família está também a produzir barritas ‘fitness’.

O investimento inicial de cinco mil euros e instalações próprias foram suficientes para colocar em marcha a microempresa familiar que só neste Natal, segundo Baltazar Guerreiro, exportou para mercados em Berlim e Hamburgo, na Alemanha, “cerca de mil latas de Chocofigo e outras tentações do Algarve com chocolate da Bélgica”.

Depois de entrar no mercado nacional em lojas gourmet e mercearias e em alguns mercados da “saudade” na Alemanha, onde a principal clientela é o emigrante português, o próximo passo é o Luxemburgo, Bélgica, França, Inglaterra, Estados Unidos da América (EUA) e Canadá, adiantou à agência Lusa o chefe da família Guerreiro, de 52 anos.

“Os contactos estão feitos, agora vamos ver como corre”, disse, referindo que também vão começar a trabalhar com uma cadeia de lojas gourmet em Portugal.

A ideia de juntar num produto único o figo seco e o chocolate belga surgiu em 2007, recordou Baltasar Guerreiro, que desde essa altura começou a divulgar o “Chocofigo, o Chocoamêndoa e a Chocolaranja” em feiras de artesanato.

Atualmente, vende para cidades como o Porto, Lisboa, Aveiro, Guimarães e toda a região algarvia.

“É tudo feito à mão”, o mentor do projeto referindo que essa pode ser “a chave do sucesso”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

fotografia: Luís Costa Carvalho

Corticeira Amorim investe oito milhões e inaugura nova fábrica nos EUA

António Mexia lidera a EDP desde 2005

António Mexia, CEO da EDP, ganhou 6.000 euros por dia em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Família algarvia conquista mercados. Cobriu com chocolate belga produtos regionais