Dinheiro Vivo TV

Faniak. A inteligência artificial chegou à música

A carregar player...

Plataforma tecnológica portuguesa quer que os artistas tenham mais tempo para criar músicas e deixar que um software fique a gerir a agenda.

A Faniak está prestes a chegar para mudar a vida dos músicos. É a primeira plataforma de inteligência artificial portuguesa que gere as datas dos concertos, escolhe as salas mais adequadas, permite dar respostas mais personalizadas aos fãs e ainda ajuda a difundir melhor os conteúdos pelas redes sociais. A fase de testes vai arrancar nas próximas semanas e já há várias bandas portuguesas que se pré-inscreveram para experimentar este sistema.

Durante a Web Summit, o Dinheiro Vivo conversou com Nuno Santos, um dos cinco fundadores da Faniak. Habituado a estar em palco – é baterista dos Madrepaz – este fazedor explicou-nos um pouco melhor como funciona esta plataforma, que foi fundada com mais quatro pessoas: Madalena Pestana, Carlos Rodrigues, David Reis e Paulo Maurício.

Esta startup foi ainda escolhida para receber um Startup Voucher, medida da estratégia Startup Portugal para dinamizar o desenvolvimento de projetos empresariais que se encontrem em fase de ideia, promovidos por jovens entre os 18 e os 35 anos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Faniak. A inteligência artificial chegou à música