Feedzai, provavelmente o próximo Unicórnio português

Empresa é a única startup nacional a integrar Tech Tour Growth 50, índice de referência para empresas de elevado potencial na Europa.

A startup portuguesa Feedzai, especializada em big data e mecanismos de deteção de fraude em tempo real e de machine learning, poderá ser o próximo Unicórnio português. A convicção é da Tech Tour, que integrou a startup portuguesa no ranking anual das 50 empresas europeias com maior crescimento, o Tech Tour Growth 50.

"Estar nesta lista é o reconhecimento do trabalho que temos feito até agora. É algo incrível que prova que a nossa estratégia e o que temos vindo a fazer ao longo dos anos é o caminho certo. Continuamos, no entanto, de manter-nos focados em servir os nossos clientes e desenvolver valor de negócio, combater a fraude e atrair os melhores talentos. Ou seja, este é o reconhecimento de que a nossa visão é correta", explica Nuno Sebastião, CEO da empresa, em entrevista ao Dinheiro Vivo.

A lista funciona como um índice de referência para empresas de elevado potencial na Europa, já que resultou da análise de 175 tecnológicas de crescimento acelerado e com potencial de "unicórnio", ou seja, empresas cuja valorização chega ou ultrapassa os mil milhões de dólares. .

"Ser um unicórnio não é um objetivo mas uma consequência. O nosso objetivo é construir valor, atrair talento e continuar a crescer como temos crescido até agora", esclarece Nuno Sebastião, acrescentando que estar na lista é "um orgulho" que não aumentar "a responsabilidade" mas a necessidade de "continuar a dar os passos certos" e a "criar valor. "Pessoalmente, fico muito contente por representarmos Portugal nesta nova era de globalização da tecnologia portuguesa", assume Nuno, que foi considerado em agosto passado um dos 100 líderes mais influentes do mundo na área de tecnologia financeira pela Hot Topics.

Nuno Sebastião, co-fundador da Feedzai. Nuno Sebastião, co-fundador da Feedzai.

A escolha da empresa portuguesa para integrar a lista internacional teve em conta critérios como ter mais de 10 milhões de euros de receitas, financiamento total superior a 20 milhões de euros, avaliação entre 100 e mil milhões milhões de euros, elevado potencial de inovação, equipa de gestão qualificada e "pedigree de excelência" (apoio de qualidade, conselho consultivo, portfolio de prémios e primeiros lugares alcançados em rankings do setor), explica a empresa.

O comité de seleção é composto por empresas de capital de risco, conselheiros e peritos, como o Bank of America Merrill Lynch, Accel Partners, Highland Capital Partners Europe, Amadeus Capital Partners, DN Capital ou o World Economic Forum e conta, ainda, com a portuguesa Caixa Capital.

Segundo William Stevens, diretor da Tech Tour, “o sucesso dos ‘unicórnios’ que captam a nossa atenção são, na verdade, apenas a ponta do iceberg. O ranking Tech Tour 50 aponta os holofotes às restantes empresas high-tech europeias, com rápido crescimento. Desde 2006 que este ranking já ajudou a criar mais de 8 mil oportunidades de trabalho e a atrair cerca de 3.5 biliões de dólares de investimento, com uma valorização combinada estimada em 14.2 biliões de dólares.”

Ao contrário do ano passado, em que quase 50% das empresas presentes pertenciam à categoria ‘eCommerce B2C’, este ano estas não ultrapassam os 30%. As empresas Fin Tech – categoria na qual a Feedzai se inclui – ressurgem (20%), quer seja B2B ou B2C.

Sempre a contratar

Nos planos da startup portuguesa está a continuação do caminho feito até agora: continuar a atrair os melhores talentos e os melhores clientes e prosseguir com o crescimento a três dígidos. Por isso, a startup, que cresceu 300% em 2015 e abriu no final do ano passado o novo escritório em Nova Iorque, diz estar "sempre a contratar. "Até ao final do ano planeamos duplicar o nosso número de colaboradores, em várias áreas, em Portugal e no estrangeiro", explica Nuno. Neste momento, a Feedzai conta já com mais de 100 colaboradores.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de