fazedores

Founders Founders: Criar um país de Fazedores

Os fundadores da associação de startups Founders Founders, Afonso Santos, Paulo Cunha, Tiago Carvalho, Felipe Ávila da Costa e Rui Santos Couto. (Rui Oliveira/Global Imagens)
Os fundadores da associação de startups Founders Founders, Afonso Santos, Paulo Cunha, Tiago Carvalho, Felipe Ávila da Costa e Rui Santos Couto. (Rui Oliveira/Global Imagens)

Associação quer criar comunidades de startups em parceria com municípios. Barcelos é a primeira paragem.

A Founders Founders quer espalhar o espírito startup em todo o país e vai arrancar, até ao final de maio, com o primeiro programa de ignição de novos negócios, na cidade de Barcelos. É a estreia do projeto para mudar a economia de várias regiões de Portugal, tendo os municípios como parceiros. Ao mesmo tempo, a associação fundada no Porto no final de 2015 vai inaugurar a sua segunda residência, em Lisboa.

“É preciso investir para que, daqui a 10 anos, com todas as transformações que estão a acontecer no mundo, continuemos a ser um polo industrial e de negócios significativo. Para isso, é preciso levar a partilha e fazer com que a magia aconteça só pelo facto de reunir as pessoas e de colocar o conhecimento a circular”, explica Rui Santos Couto, um dos cinco fundadores da associação.

Em Barcelos, a câmara vai promover vários eventos em parceria com a Founders Founders. “Queremos que quem estiver a criar um negócio inovador nesta cidade tenha o mesmo grau de acompanhamento, de massa crítica e de conhecimento a circular como seria possível encontrar numa Founders Founders do Porto ou em Lisboa. É preciso ter acesso às mesmas pessoas, mentoria e conhecimento.”

O programa de ignição de novos negócios vai permitir uma “ligação entre os empresários mais experientes e as novas formas de negócio”. Este elemento é preponderante num concelho “com um tecido industrial muito forte” e que tem “um instituto politécnico e uma comunidade jovem relativamente significativa”. Só que “os mais novos precisam que saem de Barcelos precisam de ter razões para voltar”.

Leia mais: Porto. Ligação entre universidade e startups já vale 190 milhões

Fora da ideia está, para já, a criação de mais residências fora das principais cidades. “Não é a lógica de criar uma incubadora onde não existem projetos para desenvolver. É da mesma forma que não vale a pena criar teatros onde não há público para assistir. Primeiro, gera-se e estimula-se a procura. Depois, cria-se o espaço.”

Residência em Lisboa

A conversa é diferente nos grandes polos empreendedores: a Founders Founders vai abrir a sua primeira residência fora do Porto até ao final de junho. Irá ocupar um espaço de 1000 m2 em plena rua Augusta, em Lisboa, e terá capacidade para 10 startups. Os dois anfitriões serão Nuno Brito Jorge e Carmen Estevez, co-fundadores da plataforma de investimento sustentável GoParity.

“Tudo começou com um apelo dos 300 membros do Founders Club, que reúne residentes e não residentes da nossa associação. Queriam criar um espaço na sua cidade com um ambiente semelhante à Founders Founders. Desta vez, estamos a tornar isso realidade.”

Lá dentro, a comunidade pode esperar por eventos semelhantes aos do Porto: como o Let’s Grow Again – onde se apresentam processos estratégicos de crescimento e aposta em marketing – e o Scale Me Up, evento reservado onde uma equipa de uma empresa dá o feedback “sem meias palavras” de uma startup. Apenas não está confirmado o café.

Com a segunda residência, a Founders Founders também quer fortalecer o eixo norte-sul do empreendedorismo: haverá espaço para as startups residentes no Porto trabalharem a partir de Lisboa se for necessário – e vice-versa.

Mais um pouco vai demorar a abertura do segundo espaço da associação de startups no Porto. “Este espaço tem de ter características muito específicas, de localização, de área e de modelo de gestão de espaço. Sempre que existe algo disponível, investimos o nosso tempo. Mas depois do estudo de viabilidade temos descoberto que não é possível ficar nesse local.”

Ampliar a operação na cidade Invicta é uma necessidade cada vez maior “porque temos empresas na nossa comunidade que já são demasiado grandes para a residência do Porto e que necessitam desesperadamente de mais área. A Founders Founders tem de encontrar essa resposta porque as empresas não querem sair da nossa comunidade”.

As 15 startups que estão no edifício do Porto têm um total de 150 pessoas e já conseguiram angariar 12 milhões de euros de investimento. Dois terços (65%) do que é produzido na Founders Founders é para fora de Portugal – e com tendência para aumentar.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Défice de 2018 revisto em baixa uma décima para 0,4% do PIB

Outros conteúdos GMG
Founders Founders: Criar um país de Fazedores