startups

Fundo 200M arranca a 30 de maio

Manuel Caldeira, Cabral, ministro da Economia
Manuel Caldeira, Cabral, ministro da Economia

O Fundo 200 vai ser gerido pela PME Investimentos e vai ter como presidente do Comité de Investimento Nuno Arantes.

O Fundo 200 – fundo de co-investimento anunciado em 2016 – arranca na próxima quarta-feira, 30 de maio. Tal como já havia sido noticiado, este veículo de co-investimento vai ser gerido pela PME Investimentos. O presidente do Conselho Geral será Jaime Andrez, do Compete 2020. Já o presidente do Comité de Investimento será Nuno Arantes do MIT Portugal. Francisco Almada-Lobo, da Critical Manufacturing, Rory Earley e Simon Schaefer são os restantes nomes que vão compor o Comité de Investimento.

O ministro da Economia sinaliza que “o 200M é um instrumento muito interessante para atrair investidores do setor tecnológico para Portugal, trazendo não só mais capital para as startups portuguesas mas também investidores que podem projetar e fazer crescer as nossas empresas no mercado global”.

“Este instrumento complementa outros instrumentos já lançadas (fundos business angels e fundos de capital de risco) e pretende alavancar investimentos de maior dimensão na fase de aceleração das empresas, que é a fase em que as empresas criam mais emprego e mais valor. Responde a uma necessidade identificado pelas empresas tecnológicas que muitas vezes tinham que ir para o estrangeiro quando necessitavam de investimentos de maior dimensão”, remata Manuel Caldeira Cabral.

O arranque deste programa de co-financiamento – composto por 100 milhões de euros de fundos públicos e por outros 100 milhões de fundos privados – acontece cerca de um ano e meio depois do seu anúncio e deverá durar até 2020.

Em novembro de 2016, altura em que decorreu a primeira edição da Web Summit em Lisboa, o governo português anunciou este programa, no qual a decisão de investimento recai sobretudo sobre os privados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: REUTERS/Brendan McDermid

Principais bancos em Portugal vão continuar a reduzir exposição ao imobiliário

Fotografia: REUTERS/Brendan McDermid

Principais bancos em Portugal vão continuar a reduzir exposição ao imobiliário

SaudiAramco

Petrolífera Aramco consegue maior entrada em bolsa da história

Outros conteúdos GMG
Fundo 200M arranca a 30 de maio