financiamento

Fundo 200M recebe ‘luz verde’ de Marcelo

A Secretária de Estado da Indústria, Ana Lehmann, discursa na apresentação do HUB criativo do Beato, na antiga Manutenção Militar de Lisboa. Fotografia: Filipa Bernardo / Global Imagens
A Secretária de Estado da Indústria, Ana Lehmann, discursa na apresentação do HUB criativo do Beato, na antiga Manutenção Militar de Lisboa. Fotografia: Filipa Bernardo / Global Imagens

Medida prevê o investimento, do Estado, de 200 milhões de euros em startups e PME com o coinvestimento, na mesma proporção, de fundos privados

O 200M, o fundo de coinvestimento em startups e PME, foi promulgado por Marcelo Rebelo de Sousa. A decisão foi conhecida esta segunda-feira através da publicação de uma nota na página da presidência da república.

A medida prevê o investimento, da parte do Estado, de 200 milhões de euros em startups e PME com o coinvestimento, na mesma proporção, de fundos privados. Ao todo prevê-se a disponibilização de 400 milhões de euros para estimular o financiamento de novas empresas. A iniciativa está prevista no programa Startup Portugal, estratégia de apoio ao empreendedorismo em Portugal.

Com a ‘luz verde’ do Palácio de Belém, aguarda-se que o diploma relativo ao 200M possa ser publicado ainda antes da Web Summit de 2017, que irá decorrer entre 6 e 9 de novembro. O fundo foi anunciado em novembro de 2016 na Venture Summit, evento paralelo à cimeira digital.

O 200M deverá contar também com um mecanismo de saída da presença do Estado nas startups que forem alvo desta medida, conforme adiantou no final de janeiro o então secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos.

“Cada acordo prevê um mecanismo de exit desde o dia zero, sobre como o Governo sai de cena. Fica tudo claro e transparente desde o dia um. O dinheiro público não tem de ter a mesma ganância de um investidor privado, que quer retirar o maior valor possível de um investimento. O Governo se receber o dinheiro que lá colocou com uma taxa de juro aceitável, então, tudo bem”, assinalou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Centeno mantém crescimento de 1,9% este ano. Acelera para 2% no próximo

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Dívida pública desce mais devagar do que o previsto

desemprego Marcos Borga Lusa

Taxa de desemprego nos 5,9% em 2020. A mais baixa em 17 anos

Outros conteúdos GMG
Fundo 200M recebe ‘luz verde’ de Marcelo