serviços

Fuology: Encontrar pessoas para serviços com a lógica do kung-fu

1. Uma oferta de trabalho semelhante, na sua empresa, oferece uma compensação mais elevada

Plataforma liga pessoas e empresas a profissionais de dezenas de áreas. Apenas é cobrada comissão quando o profissional é contratado.

Tempo, habilidade, disciplina, trabalho duro e conhecimento. As bases do kung-fu chegaram ao mercado de trabalho graças à Fuology, uma nova plataforma portuguesa para que pessoas e empresas possam encontrar profissionais para serviços ocasionais ou projetos de médio/longo prazo.

Na Fuology é possível encontrar desde serviços locais, como petsitters, apoio domiciliário, aulas particulares académicas ou até mesmo de artes e lazer, canalizadores; ou então serviços remotos, para serem executados à distância, como desenho de logótipos, programação web, traduções e consultoria.

A plataforma também conta com um conjunto de planos para que profissionais possam ter acesso a mais opções. O progresso dos profissionais é medido pelas faixas do kung-fu: o nível mais baixo tem a cor amarela; o nível mais alto é identificado por uma faixa vermelha-preta. No último nível, cobra-se uma comissão mais baixa ao profissional quando é contratado para prestar serviços.

A Fuology, liderada por Dany Costa, garante que “todos os perfis são verificados antes de serem colocados online” e que os pagamentos apenas são feitos “depois do serviço concluído”. Em Portugal, esta plataforma compete no mercado de oferta de serviços com a Zaask, Fixando e a Wegho.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

Lisboa, 16/07/2019 - Decorreu hoje parte de uma reportagem sobre, empregos criados pelas empresas de partilha de veículos em Portugal..
Acompanhamos a recolha, carregamento e reparação das trotinetes partilhadas da Circ.

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Partilha de veículos dá emprego a mais de 500 pessoas

António Mexia, CEO da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

Saída de clientes da EDP já supera as entradas

Outros conteúdos GMG
Fuology: Encontrar pessoas para serviços com a lógica do kung-fu