startups

Impact Hub. Maior rede de empreendedorismo de impacto chega a Lisboa

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Laboratório de inovação e acelerador de negócios de impacto chega a Lisboa. Quer acelerar mais de 300 startups

Depois de Viena, Estocolmo, Londres, Seattle, Tóquio, S. Paulo, Bucareste, Milão, Madrid, Joanesburgo, Belgrado, Telavive, Bogotá, Oakland e Singapura é a vez de Lisboa. O Impact Hub, conceito criado em Londres em 2005 e que junta a maior comunidade de empreendedores de impacto, a nível mundial, prepara-se para abrir até junho o primeiro espaço em Lisboa.

Esta é mais uma notícia que dá conta do dinamismo do ecossistema empreendedor na cidade de Lisboa: há menos de um mês, outro projeto internacional, o Second Home, anunciou que se prepara para abrir um espaço em Lisboa no primeiro semestre deste ano.

“O impacto não acontece em isolamento, requer uma ação coletiva. (…) O sucesso de uns é o sucesso de todos”, explica fonte da Lisbon Impact Hub.

“Queremos o melhor de dois mundos: juntar as ONG’s às multinacionais e fazer com que colaborem e aprendam umas com as outras”, explica Filipe Portela, 34 anos, co-fundador do Lisbon Impact Hub. Fisioterapeuta, começou em 2013 a trabalhar em projetos ligados ao impacto social e trabalhou na Fundação Mais até começar a pensar num projeto de cowork e incubação em nome individual. A Work United haveria de nascer pouco tempo depois para, mais tarde, e por uma necessidade de escala, dar lugar a uma casa portuguesa do projeto internacional Impact Hub.

“Optámos por uma importação do conceito em vez da criação de uma marca de raiz pela importante rede de contactos. Há algo em comum entre os mais de 11 membros, entre pessoas e instituições. E qualquer pessoa do mundo pode vir para o Impact Hub em Lisboa, assim como todos os portugueses podem usar os restantes espaços do mundo”, esclarece o fundador.

O Lisbon Impact Hub vai ocupar um armazém abandonado e recuperado na zona do Beato-Marvila, um espaço com cerca de 3000 metros quadrados que será totalmente focado em projetos de empreendedorismo, inovação e geração de novos negócios de impacto.

A empresa espera incubar 335 fazedores envolvidos em projetos de impacto social ou ambiental.

“O impacto não acontece em isolamento, requer uma ação coletiva. (…) O sucesso de uns é o sucesso de todos”, explica fonte da Lisbon Impact Hub em comunicado. O projeto, que inclui a recuperação de um armazém abandonado na zona do Beato/Marvila, em Lisboa, é resultado de um investimento privado. Pelo menos por enquanto, até a equipa atual de sete pessoas conseguir atrair novos investidores.

A comunidade internacional do Impact Hub integra cerca de 11 mil membros distribuídos por 70 cidades em 50 países e nos cinco continentes. A organização fala de vantagens inegáveis quanto às consequências da utilização do espaço: 20% dos empreendedores sociais no ranking 30 Under 30 da Forbes vieram da rede Impact Hub.

O espaço de Lisboa estará aberto a empreendedores, investidores, startups, organizações sem fins lucrativos e até multinacionais, interessadas em partilhar espaço com outras empresas. A ideia é cumprir apenas um requisito fundamental: estar alinhado com os valores e princípios defendidos pela Impact Hub em todo o mundo.

As candidaturas ao Impact Hub Lisboa já abriram. Mais informações, aqui. Conheça histórias de sucesso criadas a partir da rede Impact Hub aqui. Acompanhe as novidades do Lisbon Impact Hub na página do Facebook da organização.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Impact Hub. Maior rede de empreendedorismo de impacto chega a Lisboa