programação

Girls in STEM. Vodafone forma 40 jovens programadoras em Portugal

Fotografia: DR
Fotografia: DR

Operadora admite dar mais bolsas de formação para ajudar mulheres a entrar no mundo da programação.

Há 40 jovens adolescentes portuguesas que vão ter formação em programação. A iniciativa “Girls in STEM” vai voltar a ser promovida pela Vodafone em 26 países, Portugal incluído, para aumentar o número de mulheres nas áreas da ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

A Vodafone repete a iniciativa iniciada em 2017 e que incluiu a formação presencial de programação para 23 jovens da escola secundária D. Filipa de Lencastre, em Lisboa. A formação de 12 horas permitiu a estas mulheres aprenderem “os primeiros conceitos de programação e de base de dados” para o desenvolvimento de várias aplicações e jogos para telemóvel.

A operadora liderada por Mário Vaz admite que ainda poderá aumentar o número de bolsas de formação para este ano. “Já falámos com várias escolas secundárias e estamos disponíveis para oferecer mais do que os 40 cursos previstos”, afirma ao Dinheiro Vivo fonte oficial da Vodafone. Em Portugal, esta formação é feita em parceria com a escola de tecnologia e inovação para crianças e jovens Happy Code Portugal e vai decorrer entre abril e junho.

O mundo tecnológico necessita de mais iniciativas para resolver os problemas de género. “Apenas 35% das mulheres e raparigas aprofundam os seus conhecimentos nas áreas de STEM, e muitas delas não têm motivação para desenvolver as competências necessárias para serem bem-sucedidas nestas indústrias”, refere a empresa. A formação “Girls in STEM” vai abranger 500 raparigas em todo o mundo.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Finanças cortam 11% na verba para descongelar carreiras em 2019

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte REUTERS/Alessandro Bianchi

Itália não cede a Bruxelas e mantém orçamento

Fotografia: JOSÉ COELHO/LUSA

Vieira da Silva admite que 600 euros são “ponto de partida”

Outros conteúdos GMG
Girls in STEM. Vodafone forma 40 jovens programadoras em Portugal