Prémio Inovação NOS

Glintt. GX, nome de código que simplifica processos

Ana Sofia Marta, responsável pelo projeto GX-BPM com Luís Andrade Silva, diretor de IT Consulting da Glintt.
Ana Sofia Marta, responsável pelo projeto GX-BPM com Luís Andrade Silva, diretor de IT Consulting da Glintt.

Multinacional portuguesa criou um software que tem como objetivo tornar processos básicos mais rápidos, eficazes e fáceis de concretizar

O nome é enigmático mas o segredo é outro: o código GX-BPM designa muito mais do que um código difícil de entender. O software, criado pela Glintt e um dos projetos finalistas do Prémio Inovação NOS na categoria Grandes Empresas, trabalha como gestor de processos informatizado assente numa plataforma da IBM. O que, trocando por miúdos, não é mais do que um facilitador: a ideia é simplificar processos básicos mas que, ao mesmo tempo, roubam muito tempo às empresas.

“Normalmente, os projetos desta componente tecnológica BPM têm um ciclo de vida muito longo e são para processos críticos. Contudo, nas organizações, cerca de 65% dos processos denominados simples gravitam dentro da organização sem muito controlo formal, por email, fax, ou mesmo por papel. O GX veio permitir a democratização da utilização da ferramenta BPM nesses processos mais simples, para fazer essa modelização“, esclarece Luís Andrade Silva, diretor de IT Consulting da Glintt.

No caso da empresa, por exemplo, o software é usado na avaliação de desempenho de trabalhadores. Mas o GX-BPM foi desenvolvido em parceria com o Novo Banco e usado na simplificação de processos como a alteração de morada dos clientes do banco.

Com áreas de negócio em sectores como o farmacêutico, de gestão hospitalar, energia e sistemas de informação, banca e seguros, entre outros, a Glintt nasceu da fusão entre a Consiste e a ParaRede.

Com uma equipa de cerca de 1900 pessoas e um volume de negócios de 80,2 milhões de euros em 2014, o mercado português representa a grande maioria dos negócios da Glintt, sobretudo nos sectores da banca, telecomunicações e administração pública. Polónia, Bélgica, Brasil e Angola, onde a empresa já tem escritórios, lideram os mercados internacionais, que já representam 25% da faturação da empresa, que já opera em três continentes, com particular importância nos mercados ibérico, angolano e latino-americano.

Conheça aqui todos os finalistas do Prémio Inovação NOS.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O empresário Joe Berardo à chegada para a sua audição perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A “golpada”, a falta de património e o risco todo no lado da CGD

Luís Castro Henriques .
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Luís Castro Henriques: “Portugal já não é um país de burocratas”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Glintt. GX, nome de código que simplifica processos