novos negócios

Glovo chega a Portugal para entregar produtos na hora

Glovo

A Glovo é a mais recente aplicação no mercado de entregas em Portugal. Esta plataforma espanhola iniciou as operações em Lisboa esta terça-feira, e permite que qualquer pessoa possa comprar, receber e enviar qualquer produto dentro da mesma cidade. A plataforma funciona através de aplicação para Android e iOS ou através da versão online.

Associada a parceiros como restaurantes, floristas, farmácias e mercados de bairro, a plataforma espanhola faz as entregas através de estafetas, os “Glovers”. Os “Glovers” estão “registados como trabalhadores independentes e declaram os seus rendimentos no ato da entrega do IRS”. Podem mover-se de carro, mota ou bicicleta e ganhar até oito euros por hora, segundo o anúncio de recrutamento.

Hamburgueria da Parada, Sushi dos Sá Morais, restaurante El Clandestino e Pastelaria Batalha são os primeiros parceiros da empresa no nosso país.

A Glovo também permite o envio de documentos entre empresas e trata de pequenos recados para clientes particulares.

Portugal é o quarto país a receber os serviços da Glovo, depois de Espanha, França e Itália. A aplicação conta mais de 250.000 utilizadores e três mil parceiros. A empresa foi fundada em fevereiro de 2015 em Barcelona por Óscar Pierre e Sacha Michaud e já obteve mais de 37 milhões de euros de financiamento.

A Glover conta em Portugal com a concorrência de empresas nacionais como a NoMenu e, mais recentemente, da SendEat. Até ao final do ano está anunciada a vinda do serviço da Uber, o UberEats.

(Notícia atualizada às 18h58 com novo montante de financiamento obtido)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Glovo chega a Portugal para entregar produtos na hora