Startup Portugal

Governo apresenta em Londres fundo “sofisticado” para atrair investidores

João Vasconcelos (Secretário de Estado da Indústria).
Fotografia: Carlos Manuel Martins/Global Imagens
João Vasconcelos (Secretário de Estado da Indústria). Fotografia: Carlos Manuel Martins/Global Imagens

A apresentação será feita ao final da tarde nas instalações da Second Home, uma das mais conhecidas incubadoras de 'startups' mundiais

O secretário de Estado da Indústria, João Vasconcelos, disse que o fundo de investimento público português em empresas tecnológicas e científicas 200M, que vai hoje apresentar em Londres, “é um dos mais sofisticados da Europa”.

Além de procurar garantir que os empreendedores portugueses não tenham de abandonar o país em busca de financiamento, o fundo tem como objetivo “atrair os melhores investidores que há nestas áreas”.

Estes, salientou João Vasconcelos à agência Lusa, “não são os que trazem mais dinheiro, mas os que acompanham o crescimento da empresa”

“São os que trazem, para além de dinheiro, gestão, ‘know-how’, desenvolvimento de produto, marketing. Precisamos desses investidores que saibam investir em biotecnologia, em digital, em renováveis”, vincou.

O programa, designado como “200M – Co-invest with the best”, conta com 200 milhões de financiamento público português e incentiva os privados, nacionais ou estrangeiros, a investir na mesma proporção, potenciando um total de investimento de 400 milhões de euros.

A condição base desde esquema de co-investimento é que as empresas que recebem o investimento tenham a sede fiscal em Portugal.

O fundo, que João Vasconcelos considerou “um instrumento dos mais sofisticados da Europa para capitais de risco”, foi anunciado no ano passado, no âmbito da Web Summit, a maior conferência de tecnologia e empreendedorismo do mundo, que se realizou em Lisboa.

A apresentação será feita ao final da tarde nas instalações da Second Home, uma das mais conhecidas incubadoras de ‘startups’ mundiais, que possui o seu segundo espaço em Lisboa, no Mercado da Ribeira.

Antes, o secretário de Estado visitará as instalações das tecnológicas Farfetch e Seedrs, fundadas pelos portugueses José Neves e Carlos Silva, respetivamente.

O sucesso destas empresas, bem como a visibilidade dada pela Web Summit, estão a “facilitar” a visita de Vasconcelos, que hoje continua uma série de encontros privados com investidores, iniciados na segunda-feira para promover as condições de investimento e trabalho em Portugal na área da tecnologia.

“É um bom momento para Portugal”, admitiu o secretário de Estado, referindo a atractividade de Lisboa e do Porto para os jovens empreendedores, onde se conseguem integrar facilmente sem mudar de fuso horário.

Esta imagem positiva do país poderá atrair empresas preocupadas com o impacto do ‘Brexit’.

“Há aqui uma oportunidade. Muitos deles são investidores e empresas de vieram de fora do Reino Unido e que estão atentos a oportunidades para investimento na Europa, porque não querem ter todo o seu portfolio num país que vai sair da Europa”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Governo apresenta em Londres fundo “sofisticado” para atrair investidores