GPS para médicos é português e procura hospitais públicos para teste

Startup portuguesa UpHill vai lançar projeto piloto por seis meses em três hospitais públicos portugueses. Melhorar qualidade das decisões e reduzir burocracia são dois dos principais objetivos.

A startup portuguesa UpHill desenvolveu um GPS para médicos. O projeto piloto vai durar seis meses em três hospitais públicos nacionais e irá contar com a participação de outras entidades previamente selecionadas, segundo informação divulgada na segunda-feira.

A tecnologia pretende ajudar os profissionais a tomar melhores decisões, "combater os longos tempos de espera que afetam os doentes e reduzir a carga burocrática a que as equipas de saúde estão sujeitas, bem como o desperdício de recursos", refere o comunicado.

A solução portuguesa fornece, "em tempo real, orientações detalhadas sobre a melhor forma de tratarem cada doente. Além de acompanhar os profissionais passo a passo, o software é integrado nos sistemas hospitalares e permite que o percurso do doente no hospital seja visível para todos".

As equipas médicas podem beneficiar com a ferramenta porque praticamente deixa de haver o risco de descontinuidade. Ou seja, deixa de haver informações incompletas sobre o doente, evitam-se exames repetidos e há menos tempo entre o diagnóstico e o tratamento.

"Com esta implementação esperamos ter um papel ativo na resolução de um problema que é
particularmente crítico no contexto atual, agravado pelos efeitos da pandemia no funcionamento
dos serviços hospitalares, porque acreditamos que só assim é possível centrar os cuidados no
doente. No fundo, é a diferença entre otimizar uma viagem e percorrer uma autoestrada, de
forma linear e contínua, ou optar por estradas secundárias com várias interseções e obstáculos
pelo caminho", destaca o líder e co-fundador da UpHill, Eduardo Freire Rodrigues.

Os hospitais públicos que quiserem participar no projeto podem inscrever-se nesta página.

Após os seis meses de teste, o objetivo é "avaliar de que forma a definição e implementação das jornadas de cuidados contribui para a melhoria dos resultados para o doente, por exemplo que influência tem na necessidade de rehospitalização ou na melhoria de indicadores de qualidade de vida, e para aumentar a eficiência dos processos hospitalares".

Lançada em 2015 por três médicos, a UpHill recebeu, em setembro, um investimento de 3,5 milhões de euros. Além de Portugal, a empresa tem projetos com multinacionais farmacêuticas em Espanha, Grécia, Noruega, Países Baixos, Suécia e Suiça.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de