Greves no metro complicam acesso ao Parque das Nações

Metro de Lisboa vai parar na manhã de terça e em todo o dia de quinta. Haverá passe especial para o ​​​​​​​concelho de Lisboa nos quatro dias da cimeira.

Os transportes públicos são fundamentais para que os 40 mil participantes da Web Summit consigam dirigir-se ao Parque das Nações. Mas a edição deste ano vai ficar marcada pelas greves no Metro de Lisboa, que vão complicar as viagens na terça e na quinta-feira.

A situação vai aumentar ainda mais a procura pelos autocarros e comboios, assim como pelos táxis e os carros das plataformas Uber, Free Now e Bolt.

Carris, Metro de Lisboa e CP uniram-se para vender o passe de transportes Web Summit. Com duração de um, três ou cinco dias, o ingresso custa entre 9,5 e 25 euros e só pode ser comprado através da página da internet do Metro de Lisboa (veja aqui). Na capital, os utilizadores terão de resgatar o passe numa máquina de venda automática das estações do metropolitano.

Com o título especial, os visitantes poderão viajar nos comboios urbanos de Lisboa da CP, nos autocarros da Carris, no Metro de Lisboa e nos ascensores e elevadores da cidade.

Se viajar de autocarro, poderá usar o serviço especial da Carris entre a Praça do Comércio e a estação do Oriente, entre as 8h e as 20h45. O shuttle Web Summit vai complementar a oferta habitual da Carris e terá partidas a cada 22 minutos.

Mais complicada será a vida abaixo do solo: o Metro de Lisboa deverá parar na terça-feira de manhã, e durante 24 horas na quinta devido à greve convocada pela federação de sindicatos dos transportes públicos FECTRANS, filiada na CGTP. O Dinheiro Vivo contactou a transportadora sobre eventuais reforços das ligações durante a Web Summit, mas não recebeu qualquer resposta.

Entretanto, a Carris anunciou o reforço de quatro carreiras para a manhã de terça e todo o dia de quinta: 726 no troço Pontinha Metro - Estefânia; 736 nos troços Senhor Roubado - Marquês de Pombal e Campo Grande - Cais do Sodré; 744 no troço Oriente - Restauradores; e 746 no troço Sete Rios - Marquês de Pombal"

Nos comboios, a CP manterá o número de composições nas linhas de Sintra, Cascais, Azambuja e Sado.

Quem optar pelos veículos particulares vai contar com menos opções do que em cimeiras anteriores. Há menos motoristas a trabalhar para as plataformas de transportes, o que explica a ausência de serviços adicionais por parte da Bolt e da Uber.

Se a procura for muito superior à oferta, as plataformas poderão acionar a tarifa dinâmica, com os preços de viagem sujeitos a aumentarem até ao dobro dos valores habituais.

Como patrocinadora da Web Summit, a Free Now vai dar mais incentivos para os motoristas responderem à afluência dos participantes. Além disso, vai proporcionar 10% de desconto em todas as viagens com a Web Summit como destino. Quem estiver inscrito no certame terá direito a 75% de redução de preços nas primeiras duas viagens.

Na quarta, dia 3, os motoristas que trabalham para as plataformas de transportes vão concentrar-se pelas 14h30 junto ao Altice Arena, como protesto contra a política de preços das empresas.

(Notícia atualizada às 11h54 de 30/10/2021 com informação da Carris sobre reforço de carreiras durante greve do Metro de Lisboa)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de