Heavy Duty Beauty: Há cremes para tudo, até para antes e depois de treinar

Óleo de Andiroba é a base da nova marca de cosmética criada para quem pratica desporto e que ajuda na hidratação da pele. A chegada ao resto da Europa e ao Brasil está marcada para o próximo ano.

A Heavy Duty Beauty (HDB) é o novo negócio da área de cosméticos que aposta em praticantes de atividade física. Com cremes para antes e depois do treino, o negócio de Renata da Luz Fernandes começou em Portugal em meados deste ano e já está a virar-se para a exportação.

O óleo de Andiroba é o ingrediente secreto da HDB. Diretamente vindo da Amazónia, o óleo contribui para a melhoria do aspeto da pele, tem propriedades hidratantes e ainda ajuda na recuperação dos músculos.

Renata da Luz Fernandes é a fundadora e líder da marca. "Sempre pratiquei desporto. Só que a minha pele sofria demasiado. Sentia falta de um produto antes e depois do treino e não havia alternativas naturais e sem crueldade no mercado", recorda ao Dinheiro Vivo a fazedora.

Os primeiros quatro produtos começaram a ser vendidos em meados deste ano e servem para o corpo e o rosto.

Produzidos a partir de um laboratório em Sintra, para o corpo, há dois cremes, um que ajuda a queimar gordura antes do treino e outro para regenerar atividade depois da atividade física. Para a cara, há um spray de limpeza para a pele ficar firme e tonificada e ainda um creme hidratante para prevenir a desidratação.

Os cremes servem para homens e para mulheres e apenas estão disponíveis da página da Heavy Duty Beauty. As entregas para Lisboa são feitas no próprio dia; no resto do país, é necessário esperar entre 24 e 48 horas.

Até chegar às fórmulas finais foi necessário um ano de investigação, que incluiu conversas com especialistas em cuidado de pele. Renata deixou o trabalho a tempo inteiro numa multinacional na área de controlo de gestão.

Além disso, frequentou o programa de direção de empresas da escola de negócios AESE. "Queria ter uma ideia de outras áreas, para entender a estratégia de empresa e de marketing", recorda.

Mas a principal aprendizagem da fazedora tem sido o processo de construção da HDB. "É um one woman show e um trabalho a tempo inteiro", salienta Renata, que tem feito praticamente tudo sozinha, com exceção de algumas colaborações na área do design.

Também a forma de gerir o dia-a-dia mudou radicalmente. "Nem eu tinha ideia do trabalho que era começar uma marca e um produto do zero. Dependo de muitas pessoas e de muitos fornecedores para cada elemento".

Renata salienta que é "preciso ter muita resistência e muita paciência. Tenho de esperar pelos resultados das pessoas no seu timming e é necessário fazer um enorme trabalho de gestão das expectativas".

Os desafios não ficam por aqui. "Apesar dos incentivos, é difícil abrirem-nos as portas quando estamos a começar um negócio em Portugal. Temos pouco poder de negociação e é difícil montar os produtos da forma mais adequada para os consumidores."

Depois de investir todas as suas poupanças na HDB, Renata já olha para o mercado internacional. No próximo ano, quer começar a vender os cremes e sprays para a Europa e ainda para o Brasil.

Antes disso, conta fechar uma ronda de investimento inicial para apostar no marketing na Europa e na montagem de uma estrutura para poder comercializar os produtos no mercado brasileiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de