startups

HUUB já está na Holanda e ambiciona abrir novas operações em 2019

A equipa fundadora da HUUB. (Pedro Granadeiro/Global Imagens)
A equipa fundadora da HUUB. (Pedro Granadeiro/Global Imagens)

Em 2018, a startup da Maia obteve uma ronda de financiamento. As vendas em 2018 cresceram mais de 100%.

A HUUB, uma startup que opera na área da logística para o segmento da moda, fechou em maio passado uma ronda de financiamento de, pelo menos, 2,5 milhões de euros. O ano passado foi marcado pelo crescimento da empresa – quer ao nível de vendas, tendo estas subido na ordem de 100% – quer ao nível da equipa. Para este ano querem abrir novas operações na Europa e começar a olhar para o mercado americano.

“No ano passado conseguimos crescer acima dos 100%. Mas foi também de crescimento de estrutura. Para 2019 temos objetivos ambiciosos. Queremos crescer 200%”, diz ao Dinheiro Vivo Luís Roque, CEO da HUUB.

Lançada em 2015 por Luís Roque, Tiago Paiva, Pedro Santos e Tiago Craveiro, a HUUB quer facilitar as operações de logística para retalhistas de moda, trabalhando para isso com toda a gestão da cadeia de abastecimento. A empresa tem uma plataforma, a Spoke, que lhes permite fazer um total acompanhamento das encomendas. A HUUB gere assim 100% do fluxo físico, a nível global, de todas as marcas que trabalham com a companhia.

Para o cumprimento das metas para 2019, a empresa tem já o mapa traçado. Com 95% das marcas com quem trabalham a ter origem na Europa, a internacionalização da empresa passa pela abertura de operações. “Trabalhamos a abertura de mercados o que é mais natural porque já nascemos com uma estrutura de clientes internacional. Temos marcas em 18 países – ou seja, 95% das nossas marcas são internacionais – e a nossa escalabilidade e competitividade vem da internacionalização mais operacional”.

Luís Roque reconhece que para empresa ser competitiva tem de abrir operações. Esse foi um dos principais motivos para abrir uma operação na Holanda, próximo da fronteira com a Alemanha – um dos principais mercados. “Tínhamos a ideia de mover para o Reino Unido [antes da Holanda] na altura. Mas com a questão do Brexit ficamos um bocadinho à espera. Acabamos por mover para um segundo mercado mais próximo – Holanda. O nosso foco é dar novos serviços, como a entrega em X horas ou o cliente poder recolher a encomenda num sítio específico, e para darmos essa experiência ao cliente – que é o nosso objetivo – precisamos de estar muito próximos” dos clientes.

A HUUB quer abrir mais operações na Europa este ano, não descartando geografias como Reino Unido “porque é um dos maiores mercados de comércio eletrónico” e Espanha, que é forte na área do retalho. Admitem também apostar no mercado norte-americano entre o final deste ano e arranque em 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
: PÁGINAS : LIXO 08-09 NEGÓCIOS Eólicas + Opinião

Eólica vs. solar. Que energia dominará a Europa em 2030?

Turistas no Miradouro São Pedro de Alcântara, em Lisboa.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Ourém recua, Guimarães pondera. São já 8 os municípios que cobram taxa turística

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve confiante numa estabilização do mercado britânico

Outros conteúdos GMG
HUUB já está na Holanda e ambiciona abrir novas operações em 2019