Tecnologia

Impressora 3D nacional para Agência Espacial Europeia vale prémio em Inglaterra

Impressora 3D portuguesa nasceu em Ílhavo. (Arquivo/Global Imagens)
Impressora 3D portuguesa nasceu em Ílhavo. (Arquivo/Global Imagens)

Projeto que envolve a BeeVeryCreative ganhou prémio TLT Awards perante concorrentes como a HP e Airbus.

Portugal conquistou um dos principais prémios no Reino Unido na área da tecnologia industrial, os TLT Awards. A BeeVeryCreative, em conjunto com mais três empresas, conquistou o galardão para melhor aplicação na indústria espacial graças ao projeto MELT (Manufacturing of Experimental Layer Technology), e que tinha como objetivo desenvolver e testar um protótipo de impressora 3D para a Estação Espacial Internacional e que foi depois entregue à Agência Espacial Europeia. A distinção foi entregue na semana passada em Birmingham, Reino Unido.

“Estamos muitos satisfeitos por termos recebido este prémio. É um reconhecimento de nossa capacidade de desenvolvimento tecnológico e uma recompensa por mais de 2 anos de investimento neste projeto em conjunto com os nossos parceiros do consórcio internacional. […] A impressão 3D pode ter um papel significativo na exploração espacial e esperamos que este projeto tenha dado o seu contributo para isso”, refere Sérgio Sousa Moreira, responsável de marketing da startup sedeada em Ílhavo.

A BeeVeryCreative participou no projeto MELT em conjunto com mais três empresas do sector espacial, como a SONACA Space, a OHB Systems e a Active Space Technologies. Este consórcio venceu o prémio perante a concorrência de projetos apresentados pelos gigantes HP e Airbus.

Após vencerem um concurso lançado pela ESA, este consórcio internacional, esteve a desenvolver o protótipo ao longo de mais de dois anos, tendo sido da responsabilidade da BeeVeryCreative o desenvolvimento do equipamento propriamente dito e do seu software. Com os conhecimentos gerados, a empresa portuguesa, com o acompanhamento do Instituto Pedro Nunes – brokers em Portugal da ESA -, vai desenvolver uma impressora 3D para empresas, conforme escreveu o Dinheiro Vivo em maio.

Setores como o automóvel, calçado e eletrónica poderão recorrer à prototipagem rápida, obtendo assim protótipos precisos, mais fáceis de usar e que demoram menos tempo a criar.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dos blueprints  dos primeiros automóveis, ao topo dos carros elétricos atuais, de elon Musk, em homenagem, a Nikolas Tesla.
Ilustração: VITOR HIGGS

Automóvel. Em 20 anos do euro mudou tudo, menos a carga fiscal e o líder

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Vieira Lopes: “Metas do governo são realistas mas é preciso investimento”

A EDP, liderada por António Mexia, vai pagar o maior cheque de dividendos da bolsa nacional.

PSI20. Menos lucros mas o mesmo prémio aos acionistas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Impressora 3D nacional para Agência Espacial Europeia vale prémio em Inglaterra