Emprego

Indie Campers contrata mais 150 pessoas para Portugal e nove países

Hugo Oliveira, fundador e CEO da Indie Campers. Fotografia: Leonardo Negrão/Global Imagens
Hugo Oliveira, fundador e CEO da Indie Campers. Fotografia: Leonardo Negrão/Global Imagens

Startup portuguesa pretende cimentar o crescimento das receitas e acompanhar o reforço da frota de autocaravanas

A Indie Campers prepara-se para contratar mais 150 pessoas nos próximos meses. A maior empresa de aluguer de autocaravanas da Europa procura as pessoas “mais atenciosas do mundo” para Portugal e outros nove países. O objetivo é cimentar o crescimento das receitas e acompanhar o reforço da frota de autocaravanas.

Marketing, financeira, excelência do cliente (customer excellence) e operações são as principais áreas onde a Indie Campers precisa de reforços, sobretudo “simpáticos, disponíveis, atenciosos e aventureiros”. Além de Portugal, as vagas também estão disponíveis nos restantes mercados desta startup, como Espanha, França, Alemanha, Croácia, Reino Unido, Bélgica, Holanda, Itália e Suíça.

“O sucesso desta empresa deve-se às nossas pessoas. São elas que, independentemente da sua função, acompanham e cuidam do cliente durante toda a viagem, para que este tenha uma experiência sem preocupações”, assinala Hugo Oliveira, líder da Indie Campers, ao Dinheiro Vivo.

A startup portuguesa também pretende proporcionar um ambiente de trabalho “único e memorável”. Além do salário e do seguro de saúde, há regalias como ginásio grátis, acesso a autocaravanas de forma gratuita e descontos em parceiros selecionados.

Fundada em 2013, a Indie Campers regista um crescimento médio anual de 420%. No início de outubro, permitiu uma saída de êxito à Portugal Ventures. A sociedade de capital de risco pública vendeu a posição que detinha na Indie Campers e obteve uma mais-valia de 610 mil euros com esta operação, apurou na altura o Dinheiro Vivo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fiadores tendem a ser idosos

Pensões sobem em janeiro entre 0,8% e 1,5%, com mínimo de 6 euros

Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Valor máximo do subsídio de desemprego sobe 16 euros em 2019

José Neves, CEO da Farfetch. Fotografia:  REUTERS/Toby Melville

Farfetch compra empresa de calçado desportivo por 250 milhões

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Indie Campers contrata mais 150 pessoas para Portugal e nove países