Investigador português vence competição da ESA para missão espacial Ariel

Luís Simões, fundador da ML Analytics, criou a solução de Inteligência Artificial para estudar exoplanetas que venceu o desafio internacional

O investigador português Luís F. Simões venceu a competição internacional "Ariel Machine Learning Data Challenge", com uma solução de aprendizagem de máquina que foi considerada a melhor para a missão Ariel que a Agência Espacial Europeia (ESA) lançará em 2029.

A competição visava a criação de soluções de Inteligência Artificial de alta precisão para a caracterização de exoplanetas, ou planetas em órbita de outras estrelas que não o Sol. O principal objetivo foi desenvolver a capacidade de eliminar o ruído introduzido no sinal do satélite Ariel pela presença de manchas solares, assim como o ruído oriundo dos instrumentos.

O que o investigador português desenvolveu é uma solução que estima as dimensões de planetas quando estes transitam em frente das suas estrelas com um erro médio consideravelmente inferior ao das restantes equipas (de 0.00007). É um marco muito aproximado da precisão que a ESA quer alcançar, de forma a garantir para o sucesso da missão.

Fundador da ML Analytics, Luís Simões reagiu à distinção dizendo que "é um orgulho" trazer a medalha de ouro desta competição científica e tecnológica para Portugal.

"Trata-se do culminar de muitos anos de investigação a acompanhar e a contribuir para a evolução da Inteligência Artificial", afirmou. "Espero que este pequeno passo para a ciência conduza, através da missão Ariel, a uma grande expansão do conhecimento humano sobre o Universo."

Nesta missão da ESA em particular, o intuito é estudar a atmosfera e química de mil exoplanetas, uma tarefa que se torna complexa dada a necessidade de observar planetas em passagem sobre a sua estrela, que por vezes se encontram à distância de centenas anos-luz. A esta distância, uma das principais questões que se coloca é a distinção entre planeta, estrela e instrumento.

Foi para fazer esta distinção de forma mais precisa que a ESA desafiou a comunidade de Inteligência Artificial e aprendizagem de máquina a desenvolver uma solução.

Luís Simões trabalha na aplicação de Inteligência Artificial a problemas do espaço desde 2008, com colaborações regulares com a ESA, e fundou a ML Analytics com a mulher, Marília Felismino Simões.

A empresa apresenta-se como uma "boutique de ciência de dados", que desenvolve projetos de IA à medida dos clientes. A estreita colaboração com entidades e projetos ligados ao espaço têm dado à empresa uma experiência importante, permitindo-lhe investigar abordagens de modelação em ambientes críticos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de