Investimento

Lionel Richie investe em startup de médicos ao domicílio

Lionel Richie lançou o mais recente álbum em 2012. Fotografia:   REUTERS/Mario Anzuoni
Lionel Richie lançou o mais recente álbum em 2012. Fotografia: REUTERS/Mario Anzuoni

Com amigos como Elon Musk, Richie conta que o investimento em startups ocupa-lhe cada vez mais tempo

Lionel Richie é a mais recente figura pública a investir em startups. O músico norte-americano juntou-se a um conjunto de investidores de Los Angeles e apostou na Heal, uma empresa que desenvolveu uma aplicação para chamar médicos ao domicílio através do smartphone.

O cantor de êxitos como “Hello” ou “All Night Long” justificou o investimento com a qualidade do serviço e recordou a infância, em Tuskegee, no estado do Alabama. “Se nasces e cresces no Alabama, numa pequena comunidade, conheces todos os doutores e enfermeiras. Ninguém diz para chegar ao consultório às oito em ponto e esperar por alguém”, refere o cantor em declarações ao portal TechCrunch.

Lionel Richie conta também como se deixou encantar pela ideia de Nick Desai, o fundador da Heal. “Quando eu conheci o Nick, ele disse ‘Aqui está a apresentação: queremos trazer de regresso os cuidados médicos acessíveis com doutores a virem a casa em menos de duas horas’ “. Ao que Richie respondeu: “Estás a brincar comigo? A partir daí, era uma questão de entender como poderia aproveitar isto. Ao perceber que eles tratavam da logística, vi logo que era uma ideia que adorava”.

Aos 68 anos, o cantor norte-americano não poderia estar mais envolvido no mundo tecnológico. Com amigos como Elon Musk, Richie conta que o investimento em startups ocupa-lhe cada vez mais tempo. “É o meu novo passatempo. Tenho uma escolha: devo jogar ténis ao fim de semana ou ligar aos meus amigos tecnológicos e perguntar-lhes o que há de novo?”.

Além disso, para investir em startups, Richie não precisa de ir muito longe. “Não preciso de sair de Los Angeles para encontrar grandes empresas. A inovação de Silicon Valley está a mudar-se para aqui. Essa inovação é a nova onda de criatividade. Não posso ajudar mas posso ser parte desse futuro.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Reuters

PME vão criar mais 70 mil empregos em Portugal

PCP

Subsídios por duodécimos no privado também acabam em 2018

Francisco Pedro Balsemão, CEO do grupo Impresa. Foto: DR

Impresa.Reestruturação já atingiu 20 trabalhadores. E chegou ao Expresso

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
Lionel Richie investe em startup de médicos ao domicílio