Web Summit

Lucros da dona da Web Summit subiram 16 vezes com vinda para Lisboa

Paddy Cosgrave, fundador e CEO da Web Summit. Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens
Paddy Cosgrave, fundador e CEO da Web Summit. Fotografia: Gerardo Santos / Global Imagens

Os lucros líquidos dispararam, de 128 mil euros em 2015 para 2,05 milhões de euros em 2016.

Paddy Cosgrave tem muitos motivos para sorrir. Os lucros da dona da Web Summit cresceram 16 vezes no ano em que a cimeira tecnológica mudou-se de Dublin para Lisboa. Os dados do grupo que detém a Web Summit foram revelados na quarta-feira pelo The Irish Times.

Os lucros líquidos dispararam, de 128 mil euros em 2015 para 2,05 milhões de euros em 2016. Isto foi possível por causa do aumento de participantes – de 30 000 para 50 000 pessoas -, da subida das parcerias comerciais e do apoio do Governo português, que paga 1,3 milhões de euros por ano à equipa de Paddy Cosgrave para organizar o evento pelo menos até 2018.

O grupo irlandês, além da Web Summit, organiza eventos paralelos na área da tecnologia e financeira, como o Collision (Estados Unidos), Rise (Hong Kong) e Money Conf, que vai mudar-se para a Irlanda em 2018. Com estes eventos, a equipa do grupo da Web Summit já conta com 180 pessoas e vai crescer para 230 funcionários até ao final de 2018.

A Web Summit volta a Lisboa entre 5 e 8 de novembro, na FIL e no Altice Arena. Este poderá ser o último ano do evento em Portugal, porque estão paradas as negociações para a realização do evento em 2019 e 2020 na capital, conforme noticiou em dezembro o Dinheiro Vivo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pedro Queiroz Pereira

Pedro Queiroz Pereira deixa império de mil milhões

Pedro Queiroz Pereira, presidente do conselho de administração da Semapa

Semapa: “Mais do que um património, PQP deixa força e deixa valores”

Outros conteúdos GMG
Lucros da dona da Web Summit subiram 16 vezes com vinda para Lisboa