fazedores

Moxy. Estúdio de software junta design e engenharia e não pára de ganhar prémios

Marco Oliveira, diretor-geral da Moxy, fotografado no escritório da empresa no Porto. (André Rolo / Global Imagens)
Marco Oliveira, diretor-geral da Moxy, fotografado no escritório da empresa no Porto. (André Rolo / Global Imagens)

Startup do Porto já dá emprego a 30 pessoas em Portugal e Alemanha e desenvolveu o melhor site do mundo para telemóveis.

A Moxy é um estúdio de software do Porto que junta design e engenharia e que está a conquistar as atenções de todo o mundo. As aplicações desenvolvidas para a web e para telemóveis já conquistaram mais de duas dezenas de prémios. Fundado em 2016, o estúdio já tem perto de 30 trabalhadores e vai chegar aos 50 no próximo ano. Além dos dois escritórios no Porto, há espaços da Moxy na Ribeira Brava (Madeira) e também em Berlim.

Dentro da equipa da Moxy existem programadores e designers. “Tentamos encontrar o equilíbrio entre impacto, excelência e pragmatismo”, destaca Marco Oliveira, diretor-geral e um dos quatro sócios da Moxy, em conjunto com André Cruz, Filipe Dias e Gonçalo Cruz (juntou-se mais tarde ao grupo).

O estúdio de design do Porto conta com quatro grandes clientes, quase todos estrangeiros. A exceção é a portuguesa Plataforme, a startup que personaliza o segmento da moda de luxo também a partir do Norte do país.

“Os programadores têm muito gosto pelo design e os designers têm tacto para a programação. Esta colaboração é muito próxima e, se for detetada alguma falha, é muito fácil articular com outro elemento da equipa e tornarmo-nos muito eficientes”.

Esta proximidade tem explicado o sucesso da Moxy junto da comunidade internacional: em três anos, já conquistou mais de duas dezenas de prémios, entre os quais, o de melhor site para telemóveis do mundo, durante a gala Awwwards, em Amesterdão.

O estúdio nasceu no final de 2016. Na altura, Marco, André e Filipe tinham acabado de sair do serviço de música Baboom, que também tinha um escritório na cidade Invicta. “Tínhamos um impasse: ou cada um seguia o seu caminho ou começávamos a fazer algo em conjunto. Muito dificilmente nos voltaríamos a encontrar os três ao mesmo tempo. Seria a altura de começarmos algo em conjunto.”

Os três fazedores enfrentaram alguma incerteza no negócio. “Não sabíamos muito bem o que criar. Queríamos algo que nos orgulhasse. À medida que fomos falando com a nossa rede de contactos, percebemos que havia mercado e que reconheciam o nosso talento. Tivemos clientes desde o dia zero, quando éramos apenas três.”

A executar um plano de investimento de cinco milhões de euros até ao final do próximo ano, a Moxy quer tornar-se cada vez mais relevante na Europa e aproximar-se de alguns dos maiores clientes da região.

Daqui a dois anos, poderá autonomizar a Nomios, uma solução de gestão de identidades e que permite, aos utilizadores, o controlo absoluto de dados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Moxy. Estúdio de software junta design e engenharia e não pára de ganhar prémios