financiamento

Não há duas sem três. Agroop procura 200 mil euros na Seedrs

Bruno Fonseca, CEO e fundador da Agroop. Fotografia: Arquivo/Global Imagens
Bruno Fonseca, CEO e fundador da Agroop. Fotografia: Arquivo/Global Imagens

É a terceira vez que esta startup recorre à plataforma luso-britânica de equity crowdfunding

A Agroop, startup que ajuda os agricultores a monitorizar as atividades no campo e a fazerem contas das despesas com a produção, está à procura de 200 mil euros junto dos investidores. A empresa recorre pela terceira vez à plataforma luso-britânica de equity crowdfunding Seedrs, cofundada por Carlos Silva, e poderá ficar avaliada em mais de dois milhões de euros assim que a operação estiver concluída.

“Decidimos voltar a recorrer, pela terceira vez, à Seedrs depois do sucesso atingido e pela excelente experiência que tivemos nas duas primeiras campanhas. O modelo de financiamento através do equity crowdfunding permite-nos não só chegar fácil e rapidamente a um vasto número de investidores, mas também promover o nosso produto junto de potenciais clientes e parceiros”, afirma Bruno Fonseca, CEO da Agroop, em nota enviada às redações esta segunda-feira.

Filipe Portela, diretor de desenvolvimento de negócios da Seedrs, assinala que o regresso da Agroop a esta plataforma “é sinal bem claro do interesse significativo pelo financiamento através de equity crowdfunding e da importância desta plataforma para o desenvolvimento e crescimento do ecossistema de startups“.

Nesta campanha de financiamento, a Seedrs já obteve mais de 100 mil euros, ou seja, metade do montante pretendido. Nas duas operações anteriores, a Agroop angariou mais de 170 mil euros. Esta foi a primeira startup portuguesa a recorrer à Seedrs, em 2015.

Além da Agroop, há outra startup portuguesa atualmente a captar financiamento junto da Seedrs. A Corkbrick Europe, uma empresa que desenvolve um projeto de blocos de cortiça de fácil montagem e desmontagem, quer angariar 150 mil euros em troca de 15% de participação na empresa.

Em junho, a Homeit, empresa de apoio ao alojamento local, obteve 250 mil euros de investimento em apenas quatro dias, a operação mais rápida de sempre de uma startup portuguesa nesta plataforma.

A Seedrs conta atualmente com escritórios em Lisboa, Londres, Nova Iorque, Amesterdão e em Berlim.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Maria Jo‹ão Gala / Global Imagens

Desemprego já caiu 33% desde o pico da crise em 2013

Lamego foi a autarquia que mais agravou o endividamento. Fotografia:
Maria Jo‹ão Gala / Global Imagens

Passivo das câmaras baixou, mas há 30 que se endividaram mais

Boa parte do valor criado pelo turismo está a ir para fora do país, via plataformas de reservas online. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

Hoteleiros contra preços praticados pela Booking

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Não há duas sem três. Agroop procura 200 mil euros na Seedrs