Negócio de família exclusivo na Europa

Família Miranda faz bicicletas há 62anos
Família Miranda faz bicicletas há 62anos

É uma empresa portuguesa e, este ano, já aumentou as
vendas quase 23%, é referida como exemplo de qualidade e desenvolve
componentes de topo de gama para as maiores marcas europeias. Falamos
da Miranda & Irmão, sediada em Águeda, que fabrica peças para
bicicletas e deve os seus 62 anos de história – a passar para a
terceira geração da mesma família – à resiliência com que se
adaptou à morte dos seus primeiros clientes nacionais: as marcas de
motorizadas, incluindo as famosas Casal Boss e Famel.

Para sobreviver, a Miranda & Irmão apostou na
inovação e nos mercados externos para se afirmar com segurança.
“Queremos ser líderes europeus de componentes para bicicletas”,
afirma João Miranda, de 50 anos, filho e sobrinho dos fundadores.
João acredita que “apostar na venda visando apenas o lucro
imediato” vale menos do que “apostar na marca – o caminho
que permite solidificar a empresa” e prepará-la para o futuro.
Por isso já começou a envolver o filho, também João, de 27 anos,
nos negócios, para dar continuidade à Miranda & Irmão.

Nos próximos dois anos, a empresa vai investir 250 mil
euros em publicidade e marketing “nos mercados externos mais
interessantes” – Alemanha, Holanda, Áustria e França – e que
são também onde se encontram os principais clientes da empresa. “Na
Alemanha e na Holanda, as bicicletas elétricas têm tido um
crescimento fabuloso”, revela o empresário.

“Somos o único fabricante de pedaleiras e de
travões na Europa. Esse é um trunfo de que não abdicamos. Os
chineses competem pelo preço, nós nunca o faremos. Apostamos no
design, na inovação e na qualidade e é isso que nos tem aproximado
de empresas como a Bosch, com quem desenvolvemos produtos em
parceria”, explica João Miranda.

A conceção de peças à medida do cliente, com
acabamentos superiores e algumas adaptações ou inovações
próprias, a par do cumprimento de requisitos “fundamentais para
as grandes empresas europeias, como a estabilidade financeira ou as
condições de fabrico e de testes na fábrica”, constituem a
atual força da Miranda & Irmão.

Equipando as marcas de bicicletas de topo de gama
europeias, onde a crise também representou uma oportunidade – os
responsáveis relatam que na Grécia o mercado interno cresceu mais
de 30% no primeiro semestre do ano passado -, a Miranda faturou 7
milhões de euros no ano passado, tem investido “uma média de
700 mil euros anuais, nos últimos cinco anos”, e foi
reconhecida como PME Líder. E porque tudo corre bem, a Miranda até
tem planos para “ampliar o quadro de pessoal”.

Retrato

Fundada em 1940, a Miranda & Irmão só começou a
exportar no século XXI. Os três irmãos Miranda – Amílcar, Hilário
e João – dirigem a empresa. Em 2012 prevê faturar entre 8 e 8,5
milhões de euros. A aposta mais recente é nos novos travões
hidráulicos de alumínio.Os produtos mais vendidos são as
pedaleiras (43%), os travões e as manetes (41%). Emprega 100 pessoas
e está a contratar quadros. www.miranda.pt/

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Frielas, 23/07/16 - Making of da nova campanha da NOS, filmada nos estúdios Contra Campo, que irá para o ar no início de Agosto e tem o actor Nuno Lopes como protagonista. 

(Sara Matos / Global Imagens)

NOS vai à praia com Nuno Lopes e a nova aplicação de TV

Fotografia: Gonçalo Delgado / Global Imagens

Passos. Estratégia para por o país a crescer é debate que está por fazer

Rita Torres Baptista, diretora de marca e comunicação da NOS

Fotografia: Sara Matos / Global Imagens

A Nos quer olhar os clientes nos olhos e chamou o Nuno Lopes

Pilotos e tripulantes da Air France têm protagonizado várias greves nos últimos meses. Fotografia: REUTERS/Philippe Laurenson

Air France: Greve de tripulantes cancela dois voos de e para Lisboa

Uber

UberIceCream regressa mas com a Häagen-Dazs

Contact Center em Fafe da Altice tem recrutamento da Randstad

Fala francês? Randstad está a recrutar para contact center de Fafe. E não só

Conteúdo Patrocinado
Negócio de família exclusivo na Europa