Investimento

Novo recorde de investimento para startups europeias

José Neves, líder da Farfetch, única empresa unicórnio fundada por um português.
Foto: Financial Times
José Neves, líder da Farfetch, única empresa unicórnio fundada por um português. Foto: Financial Times

Na Europa existem 41 unicórnios, empresas avaliadas em pelo menos mil milhões de dólares

Nunca as startups europeias receberam tanto investimento. Em 2017, as novas empresas do velho continente obtiveram um total de 19,1 mil milhões de dólares (16,1 mil milhões de euros) de investimento, o equivalente à soma do valor de mercado conjunto da Galp e do BCP na Bolsa de Lisboa. Os dados são da capital de risco Atomico – que investiu em 2015 na Uniplaces – no relatório “State of European Tech”, apresentado esta quinta-feira no evento tecnológico Slush, em Helsínquia, Finlândia.

O investimento em startups europeias cresceu 32,7% entre 2016 e 2017, apesar de ter havido menos operações de financiamento. O autor do estudo, Tom Wehmeier, afasta que exista uma bolha neste mercado.

“É sempre certo que algumas empresas estão sobreavaliadas assim como há sempre empresas que estão subavaliadas. Em 2017, conseguimos um novo ano recorde de investimento, embora, em vários países existam startups que não estejam a receber a atenção e o financiamento merecidos”, refere o autor do estudo em declarações por escrito ao Dinheiro Vivo.

Em Portugal, o investimento de 42 milhões de euros na Feedzai foi a principal operação deste ano.

Europa tem 41 unicórnios

O estudo recorda também que no continente europeu existem 41 unicórnios, ou seja, empresas com avaliação acima de mil milhões de dólares.

A empresa de streaming de música Spotify é a empresa mais valiosa da Europa – 13 mil milhões de dólares; a luso britânica Farfetch, liderada por José Neves, vale dois mil milhões de dólares.

O português escreve no relatório da Atomico: “acredito que a Europa vai continuar a liderar nas indústrias onde criatividade, tradição e a habilidade são decisivas, como a moda. Não é coincidência que as maiores empresas de moda de luxo online sejam europeias. Aliás, mesmo no mercado mais generalista, empresas como Zalando, Asos, Inditex e Adidas estão claramente a liderar o segmento offline e online com um alto nível de inovação tecnológica”.

A Atomico elaborou pela terceira vez o estudo “State of European Tech”, recorrendo a uma amostra de 3500 membros da comunidade tecnológica na Europa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno, preside ao Eurogrupo. Fotografia: EPA/STEPHANIE LECOCQ

Centeno pede à Grécia para acelerar no ajustamento

Patrick Drahi lidera grupo Altice. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Concorrência pode levar compra da TVI para investigação aprofundada

Fotografia: Joost de Raeymaeker/LUSA

OIT. Pobreza e precariedade no emprego vão aumentar

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Novo recorde de investimento para startups europeias