novos negócios

Nutrium. App que ajuda a ser saudável vai chegar ao ginásio

Nutrium conta com uma equipa de 20 pessoas e trabalha a partir do edifício GNRation, em Braga.
(Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens)
Nutrium conta com uma equipa de 20 pessoas e trabalha a partir do edifício GNRation, em Braga. (Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens)

Aplicação móvel que liga nutricionistas a pacientes já funciona em quatro hospitais da CUF e chegará brevemente aos ginásios Fitness Hut.

A Nutrium é uma aplicação móvel que quer ajudar os pacientes a ter mais motivação para serem mais saudáveis. A solução que ajuda as pessoas a escolher o melhor plano alimentar e a aumentar a sua ligação com os nutricionistas já conquistou cem mil utilizadores em 24 países, está já a funcionar em quatro hospitais da CUF e brevemente vai chegar à cadeia de ginásios Fitness Hut. No final do próximo ano, a startup de Braga quer levantar uma ronda de investimento de série A de pelo menos três milhões de euros.

“Queremos ajudar o nutricionista a ter mais contacto com o cliente no período entre consultas e perceber onde estão as maiores dificuldades e atuar, antecipando a consulta ou apenas conversando com o cliente, para ajudar a alcançar os objetivos”, explica André Santos, um dos fundadores.

O sistema da Nutrium funciona de duas formas: os nutricionistas subscrevem um plano alimentar ou um plano de acompanhamento para os seus pacientes; os clientes instalam uma aplicação móvel gratuita, prescrita na primeira consulta, para conversarem com o médico registar o peso e consultar o seu plano alimentar.

Pelo menos 25 mil profissionais já se registaram nesta plataforma; destes, mais de 500 são clientes ativos e subscritores do serviço. Estes números têm aumentado nas últimas semanas graças ao início das parcerias com empresas.

Quatro hospitais da rede CUF já utilizam este serviço, ao abrigo do programa de inovação Grow. Mais parceiros deverão ser confirmados nas próximas semanas, como a cadeia de ginásios Fitness Hut, uma rede de ginásios em Espanha e uma rede de hospitais no Reino Unido.

A subscrição de planos pelos nutricionistas, para já, é a única fonte de rendimento da Nutrium, que já recebeu 685 mil euros em financiamento da Portugal Ventures, Primavera Software e da Startup Braga e conta atualmente com uma equipa de 20 pessoas, 13 delas a tempo inteiro. A plataforma está sediada no edifício GNRation, em Braga.

A ideia da Nutrium nasceu em 2014, quando André Santos frequentava o mestrado de Engenharia Informática. Na disciplina de empreendedorismo, lembrou-se dos problemas com o nutricionista que tinha sentido alguns anos antes. Depois de sair da universidade, este fazedor, juntamente com mais três sócios, criou a empresa Healthium, que desenvolve o sistema Nutrium.

“Em 2015, entrámos no segundo programa de aceleração da Startup Braga e a partir daí tudo foi muito rápido. Desenvolvemos durante três meses a versão beta do produto.”

Três anos depois, a Nutrium quer ajudar ainda mais pessoas. “Queremos que toda a gente possa ter um nutricionista, com ou sem consultas presenciais.” A startup de Braga quer tornar-se a referência deste mercado, evitar a dispersão de informação na internet e motivar cada vez mais pessoas a adotar um estilo de vida mais saudável.

A própria plataforma conta receber um incentivo no final do próximo ano. “Pretendemos levantar uma ronda de investimento em série A entre três e cinco milhões de euros, para podermos olhar para o paciente e investir mais em marketing”. Ainda assim, a sede vai manter-se em Braga.

(Notícia corrigida às 12h37 de 24/09/2018: na versão original, o artigo refere que a Nutrium tem 3 pessoas a trabalhar a tempo inteiro; na realidade, são 13 pessoas a tempo inteiro)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Nutrium. App que ajuda a ser saudável vai chegar ao ginásio