chocolate

O amor pelo chocolate venceu a engenheira florestal

Raquel Lima, responsável pela Pedaços de Cacau. Fotografia: D.R.
Raquel Lima, responsável pela Pedaços de Cacau. Fotografia: D.R.

Raquel Lima tinha o sonho de ser empresária e conseguiu concretizá-lo através do chocolate. Agora é o lançamento oficial da marca Pedaços de Cacau

A engenheira florestal apaixonou-se pelos segredos do chocolate, e em 2014 decidiu investir nessa paixão, que resultou na marca “Pedaços de Cacau”, apresentada esta quarta no Hotel Pestana
Vintage, na Ribeira do Porto.

Raquel Lima, de 38 anos, seguiu um sonho, tornou-se empresária numa área diferente daquela para a qual trabalhou e investigou durante 13 anos. E como conta a empreendedora, “tudo começou em 2013, no Natal. Tive a vontade de oferecer algo feito por mim aos amigos e como gosto de chocolate foi isso mesmo que fiz, bombons e embalagens, e correu bem. No entanto, ao fim de algum tempo estavam baços, e o meu lado de engenheira quis perceber o que tinha falhado”.

Assim, inscreveu-se num workshop, o que viria a mudar por completo a sua vida. “Assim que comecei a aprender os segredos do chocolate, muito mais elaborados que a minha primeira tentativa, o bichinho ficou e comecei a trabalhar a sério, embora em part time“.

Surge a marca “Pedaços de Cacau”, que começou por ser um hobby que permitia oferecer prendas artesanais, mas rapidamente transformou-se numa alternativa de negócio e de carreira. Registada a marca, a progressão foi notória, sobretudo porque o projeto tem o selo do «Portugal Sou Eu», o que alavancou a marca de forma exponencial.

Em três anos, esta unidade de produção artesanal, que funciona na cozinha da Raquel Lima, devidamente certificada, já arrecadou diversos prémios, nomeadamente nos “óscares da culinária” – os «Great Taste» – ou no Concurso Nacional dos Chocolates Artesanais. Os galardões começam a somar-se e incluem, por exemplo, a medalha de ouro em 2016, a de prata em 2016 e 2017 e, ainda, a medalha
Melhor dos Melhores, em 2017.

Raquel Lima faz questão de manifestar a sua preocupação com a natureza e sustentabilidade e, por essa razão, utiliza como matéria-prima o chocolate belga proveniente de cacau plantado através de práticas sustentáveis na África Ocidental. Para a empresária, “é a qualidade do chocolate, a política de responsabilidade ambiental com que é produzido e a forma original como misturo os sabores e texturas que fazem da «Pedaços de Cacau» uma marca distinta”.

Pedaços de Cacau, lançados oficialmente. Fotografia: D.R.

Pedaços de Cacau, lançados oficialmente. Fotografia: D.R.

A proposta de empreendedora passa pela criação de bombons “com 54% de cacau, e as matérias- primas dos recheios são de produtores nacionais. A minha aposta é conseguir que numa prova de olhos vendados a pessoa consiga distinguir perfeitamente os sabores, como os de limão, frutos vermelhos ou laranja, ou seja, sabores fortes que se identificam logo”.

A outra linha, a saudável, são as tabletes com 72% de cacau, fazendo combinações “totalmente improváveis, como malagueta e flor de sal, ou coco e amêndoa, entre muitas outras”.

Os chocolates da Raquel Lima estão à venda online, e em algumas lojas do grande Porto, mas já existem contactos para vender em lojas em Lisboa. “A ideia é espalhar o negócio pelo país”.

Investimento

O investimento inicial, ainda em 2013, foi de dois mil euros, “valor que foi aumentando, mas logo no ano seguinte conseguimos ter lucro. No ano passado a faturação rondou os 19 mil euros, mas ainda em part time, pois continuava a trabalhar como engenheira florestal. Já este ano fizemos um grande investimento, mas esperamos ter o retorno”.

Isto, porque este ano, Raquel Lima optou por se dedicar exclusivamente aos chocolates: “O que me dá uma verdadeira realização pessoal, fazer o que gosto e ser livre de partilhar este amor pelo chocolate com os outros”, afirma.

Por isso, o investimento vai continuar, e avançar para uma unidade de produção que deixará de ser na casa da empresária.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pedro Siza Vieira, Ministro da Economia
(Diana Quintela/ Global Imagens)

Siza Vieira. “Empresas portuguesas são naturalmente abertas ao exterior”

Antonoaldo Neves, CEO da TAP

Montijo não é solução para a TAP. “Queremos resolver o casamento com a Portela”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
O amor pelo chocolate venceu a engenheira florestal