empreendedorismo

O não no Shark Tank trouxe-lhe Richard Branson como investidor

David Siminoff é o CEO da Ring e diz que ainda não acredita que Branson se interessou pelo seu negócio.
David Siminoff é o CEO da Ring e diz que ainda não acredita que Branson se interessou pelo seu negócio.

Jamie Siminoff esperava conseguir os 700 mil dólares de investimento no programa Shark Tank da ABC. A ideia que apresentou aos tubarões - a DoorBot, uma empresa que criou um mecanismo que permitia ligar a campainha da casa a uma câmara e, depois, ao smatphone - avaliava a startup em 7 milhões.

O negócio com o slogan “Nunca perca uma visita” tinha como objetivo impedir alguns contactos indesejados, permitindo ao dono da casa saber quem toca antes mesmo de se pôr em contacto com a visita e falar com o visitante através do seu smartphone.

Com vendas anuais na ordem de um milhão de dólares por ano, Siminoff tinha esperança de que os tubarões disputassem o seu negócio mas, um a seguir ao outro, ouviu não atrás de não. Só Kevin O’Leary disse sim ao negócio mas sem cobrir tudo o que o fazedor pedia: o “Mr. Wonderful” ofereceu 700 mil dólares mas queria ficar com 10% de todas as vendas até que Siminoff pagasse todo o valor do investimento.

Leia mais: Perfil do fazedor. De que massa são feitos os nossos empreendedores?

O concorrente ao programa de televisão rejeitou a oferta e saiu sem nada. No entanto, o não no programa de televisão não fez do negócio um mau negócio. Só online, um mês antes de o programa ir para o ar, a DoorBot vendeu 250 mil dólares em produtos. E, dois meses depois, Siminoff já tinha consigo números que lhe permitiram conseguir o financiamento de 700 mil dólares pela empresa avaliada em 7 milhões. Uma semana depois de conseguir o financiamento, o empreendedor foi avisado de que o programa ia para o ar. Nessa altura, em novembro de 2013, a DoorBot vendeu cerca de 5 milhões em produtos, logo depois da transmissão do programa.

Leia mais: Ashok Rao. Fazedor em série ou como não barbear o Super-Homem pela manhã

Mas o melhor ainda estava para vir, conta Siminoff à Business Insider. Com o crescimento do negócio, o empreendedor mudou o nome da empresa para Ring, conseguiu colocar os seus produtos em cadeias como a Home Depot, a Target e a BesetBuy e está a vender para 93 países. Agora, conseguiu mais financiamento: Richard Branson, fundador do grupo Virgin, é o mais recente investidor da empresa. Veja como funciona o Ring aqui.

Leia mais: O que é preciso para ser fazedor? 50 regras de ouro para o seu negócio

Branson usou a Ring para falar com uma pessoa que fazia uma entrega na sua casa de São Francisco enquanto estava de férias na ilha Branson. Foi ele que tratou de conseguir o contacto de Siminoff e escreveu-lhe a dar conta do seu interesse em investir na empresa. Em menos de 48 horas, Branson colocou o dinheiro em cima da mesa: 28 milhões de financiamento, valor que avalia a empresa em 60 milhões. Além de Branson, a Shea Ventures, a American Family Insurence e a True Ventures são alguns dos outros investidores no negócio. “É quase surreal, ainda não consigo acreditar”, conta Siminoff à revista.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
O não no Shark Tank trouxe-lhe Richard Branson como investidor