O que fazer para jantar? Sílvia Pinto dá as receitas

Sílvia Pinto criou "O que fazer para jantar"
Sílvia Pinto criou "O que fazer para jantar"

Sílvia Pinto, mãe na casa dos 30 anos, vivia sozinha com o filho e estava numa "situação laboral precária" quando teve a ideia de lançar a nova plataforma de receitas online "<a href="http://www.oquefazerparajantar.com/">O que fazer para jantar?</a>"

“O que fazer para jantar” surgiu
da necessidade sentida por Sílvia Pinto de ter alguém ou algo que lhe
facilitasse a tarefa diária quando chegava a casa exausta por causa
de mais um dia frenético, optimizando o pouco tempo e o dinheiro que
tem para si e para a sua família.

E por entre a conversa entre
colegas de trabalho e amigas lá vinha sempre à baila a dieta, a
alimentação saudável, a lista das compras e a falta de tempo para
planear.

Para ajudar nesta gestão difícil, Sílvia Pinto lançou a plataforma digital “O que
fazer para jantar”, um novo serviço que é muito mais
do que um serviço de receitas, como tantas que já existem.

Para aceder à plataforma basta fazer subscrição mensal, identificar o
agregado familiar, escolher o plano personalizado e semanal de refeições rápidas, fáceis,
desenvolvidas por um nutricionista e como não podia faltar, a lista
completa de compras.

Cada plano, que pode custar 3,5 euros para um mês, 18,99 euros para seis meses e 33,5 euros para 12 meses, contém sete receitas e uma lista de compras semanal.

“Poupa-se tempo, dinheiro – só se
compra exactamente o estritamente necessário para confeccionar estas
refeições- e é menos uma preocupação no atarefado dia-a a-dia de
tarefas”, diz Sílvia Pinto. Veja aqui o blogue.

Atualmente dedicada a 100% ao projeto, Sílvia Pinto conta sao Dinheiro Vivo que não foi fácil. “Houve demasiadas
inseguranças até ter tomado a decisão de que se não fosse eu
própria a criar a oportunidade, ninguém o faria por mim. Aos
poucos, consegui desenvolver o projecto e conto actualmente com uma
equipa que suporta quase cem mil fãs no Facebook”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

Salvador de Mello
( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Saúde não pode andar “ao sabor de ventos políticos”

Outros conteúdos GMG
O que fazer para jantar? Sílvia Pinto dá as receitas