Oh!My Snacks: Caixa de surpresas para enganar a fome sem repetir sabores

Especialista de dados do Porto criou negócio por subscrição que junta inteligência artificial e entrega de mais de 200 snacks saudáveis em caixas ao domicílio. Entrada em Espanha está prevista para o próximo ano.

A Oh!My Snacks quer enganar a fome com comida saudável entregue numa caixa ao domicílio. No mercado desde setembro, a startup aposta num modelo de subscrição, com encomendas recebidas semana a semana ou a cada 15 dias e que podem ser suspensas ou canceladas rapidamente. Cada caixa é totalmente personalizada graças à inteligência artificial. No próximo ano, será a vez de entrar em Espanha.

Frutas desidratadas, bolas proteicas e batatas fritas feitas de lentilha e quinoa são alguns dos mais de 200 snacks já disponíveis para os clientes, em 14 categorias. Se quiser receber uma caixa com cinco produtos, paga 8,99 euros; se escolher a opção maior, com 10 unidades, são 14,95 euros.

As entregas são feitas por estafetas para quem estiver na região do Porto ou então por uma distribuidora, no resto do país, no prazo de 48 horas. Consumidores e empresas podem encomendar as caixas.

"Temos biliões de combinações possíveis: há clientes connosco desde setembro e que continuam a receber novidades", destaca ao Dinheiro Vivo o fundador da Oh!My Snacks, o cientista de dados Ricardo Alves.

Para o consumidor garantir que recebe uma caixa única é preciso preencher um questionário rápido antes de pagar a encomenda. São pedidas informações como principais objetivos alimentares, prática de exercício físico, períodos do dia com maior atividade, preferências de sabores e tipo de snacks.

A partir daqui, o algoritmo construído por Ricardo Alves faz as recomendações para as caixas durante a madrugada. A partir das 8h, os funcionários da Oh!My estão num armazém a colocar os snacks dentro de cada uma das caixas. Ao final da tarde, a distribuidora recolhe as encomendas para tudo chegar à morada no dia a seguinte.

Depois de comer os snacks, o cliente recebe um questionário por e-mail e indica as suas preferências, que ficam guardadas para futuras encomendas.

Os produtos são fabricados e embalados por empresas parceiras da startup em Portugal e no estrangeiro. A personalização implica alguns desafios logísticos: "Precisamos de ter muitos produtos no armazém embora não tenha de ser em grande quantidade".

Ricardo Alves é a alma da Oh!My. Licenciado em Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (UP) e mestre em Análise de Dados pela Faculdade de Economia da UP, teve a ideia para o negócio depois de frequentar um MBA na Porto Business School.

"Como estava a trabalhar durante o dia [como diretor de análise de dados da Porto Editora], comecei a ter muitas dificuldades em fazer merendas saudáveis. Nas máquinas de venda apenas vendem bolos e a comida nos bares não é grande coisa. Se quisesse algo como deve ser teria de dispensar muito tempo."

Depois de falar com colegas e amigos, Ricardo apercebeu-se de que o problema afinal não era só dele: "As pessoas acabavam por comer sempre os mesmos snacks, saltavam refeições ou gastavam imenso tempo na preparação".

A ideia da caixa personalizada surgiu nesse período e permitiria aplicar o conhecimento de dados como um negócio. O MBA terminou pouco antes de a covid-19 chegar. A seguir, abriram as inscrições para o concurso de empreendedorismo Acredita Portugal.

À terceira foi de vez e Ricardo conquistou o primeiro lugar na categoria de produto. Seguiu-se o investimento de entidades portuguesas, de 125 mil euros, e que permitiram lançar o negócio.

A crescer 30% por mês, a startup já está a pensar na aposta no estrangeiro. Com contas à prova de crise, Ricardo Alves garante para 2022: "Podemos tentar Espanha sem correr grandes riscos e sem uma nova injeção de capital". Basta entregar uma caixa única de cada vez.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de