restauração

Origem abre primeiro restaurante 100% biológico

Conceito expande-se para a restauração
Conceito expande-se para a restauração

A rede de cafetarias Origem acaba de abrir o primeiro restaurante da marca, uma estreia na área da restauração 100% biológica em Lisboa.

O restaurante self-service tem uma esplanada num pátio interior e está instalado no espaço Amoreiras, Rua D. João V, em Lisboa.

A ideia do restaurante é dar a conhecer novos sabores, sem corantes nem conservantes e pratos feitos com ingredientes obtidos a partir de produção biológica.

A ementa “é ditada pela própria natureza”, lê-se no comunicado enviado à imprensa: “todo o ano, os melhores produtos de cada época”. Pratos quentes e frios, carnes e peixes, massas e arroz, sopas e cremes, saladas e crepes, tarteletes e tartines, empadas e tortilhas.

“A alimentação biológica é sinónimo de uma comida feita com agricultura certificada e com sabores verdadeiros que só fazem lembrar os tempos das comidas das avós. Há cada vez mais apreciadores neste tipo de alimentação e no que diz respeito à agricultura biológica. É uma questão de consciência e de estilo de vida. Também há quem ache que, por oferecermos alimentação 100% biológica, é uma alimentação vegetariana ou macrobiótica, que não corresponde à verdade”, refere Luz Pinto Basto, directora executiva do Origem.

O Origem tem já cinco cafetarias a funcionar – Brio Carnaxide, Brio LX Factory, Brio Chiado, Brio Estoril e Espaço Amoreiras e expande o conceito para a restauração. Está aberto de 2ª a 6ª feira, das 12h00 às 20h00. Além de restaurante tem serviço de take-away e catering. O restaurante abre ao jantar, mediante reserva prévia (grupos com mínimo de 20 pessoas).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Patrick Drahi, fundador da Altice

Altice. Dona da PT confirma conversações para compra da TVI

Tesouro italiano coloca milhões a taxas de juros mínimas

Governo italiano aprova resgate de dois bancos à beira da falência

António Serrano, nos estúdios da TSF. Professor catedrático e político português, foi Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XVIII Governo Constitucional de Portugal.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

António Serrano: “É preciso um choque de gestão no território florestal”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Origem abre primeiro restaurante 100% biológico